terça-feira, 30 de junho de 2009

PALAVRA DE CRISTO: TESOURO ETERNO


Porque não sabem fazer o que é reto, diz o SENHOR, entesourando nos seus palácios a violência e a destruição (Amós 3.10).


Este é o retrato da nossa sociedade: as pessoas não admitem que não sabem fazer o que é reto. A Palavra de Deus declara que as nossas justiças são como trapos de imundícia (Is 64.6) e mesmo o mais justo entre os ímpios não passa de vaidade (Sl 39.5b). Todos os perdidos estão entesourando nos “palácios”, que criam em sua mente, a violência e a destruição. O mesmo fazem no lar, trabalho, círculo de amizades etc. Sem o lavar regenerador da Palavra, todos trabalham em vão (Sl 127.1; Tt 3.4-7).


Basta lermos esta e outras revelações da Palavra de Deus, para entendermos como é a nossa sociedade, a qual vive em pura hipocrisia. Se as pessoas se humilhassem diante do Senhor, experimentariam um poder que as faria pensar e agir melhor. O Pai não está somente no trabalho de salvar almas, mas de limpá-las de todas as contaminações e sará-las de quaisquer fraquezas que, com a queda de Adão, vieram sobre a raça humana.


Pouca gente admite que sabe fazer o que é certo. Há aqueles que até se orgulham de algum ato “bom” que praticaram e, conseqüentemente, gostam de chamar a atenção e receber os louros por suas ações. No entanto, Deus precisa de pessoas que realmente Lhe sirvam. Quem assim o faz torna-se verdadeiro benfeitor para a humanidade.


O que são as nossas justiças? Diante da verdadeira Justiça, as nossas se empalidecem e tremem de vergonha. Tudo aquilo que o homem sem a unção divina faz é vaidade. Há sempre um interesse escuso ou, pelo menos, estranho atrás de todas as obras realizadas sem a participação do Senhor. Somos extremamente vaidosos e operamos somente nesse âmbito.


A mente humana é vastíssima. Dentro de cada um de nós há “palácios” que criamos, sonhos que não publicamos e propósitos que perseguimos. Mas, quando encontramos Jesus, devemos entregar-Lhe todos os nossos projetos. O que conseguimos nesta vida é entesourar nesses “castelos” que ninguém vê e conhece. Lá dentro, muito bem guardadas, estão a violência e a destruição.


Sem a lavagem regeneradora operada pela Palavra e pelo Espírito Santo, o homem trabalha por nada. Porém, com a unção do Altíssimo, conseguimos entesourar boas coisas para a eternidade (Pv 7.1,2; 1 Tm 6.17-19).


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Missionário RR Soares: DEUS TEM SENTIMENTOS


Justificar“Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida; o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Salmo 30.5).


O nosso Deus é sentimental. Ele Se ira com as nossas atitudes erradas, entretanto, depois que Sua fúria passa, o Altíssimo volta a Se interessar por nós. É nessa atitude favorável do Senhor que está a vida. Ele até pode tê-lo deixado sozinho, mas o fez para que você sentisse quão pavorosa é a noite. Então, a manhã chega, trazendo consigo a alegria que o levanta e renova.


Quando sentir, em seu coração, o desejo de se converter, é sinal de que o favor divino está revelando-se a ele. Por isso, não perca a aproximação de Deus em sua vida. Quanto mais O conhecer, mais aprenderá que Ele tem sentimentos. O Senhor Se alegra com o seu sucesso, mas Se entristece com suas más ações. Quando você Lhe obedece, obtém mais vigor, pois a alegria do Senhor é a sua força (Neemias 8.10). No entanto, o contrário também acontece. Se desprezá-lO ou desobedecer aos Seus mandamentos, a sua vitalidade se esvai e qualquer inimigo, por mais estúpido ou fraco que seja, consegue fazê-lo cair e sofrer.


Bom seria que nunca entristecêssemos o Senhor! No entanto, nossas más ações fazem com que Ele fique nesse estado, e isso não é bom. Algumas atitudes muito erradas chegam a fazer com que Ele Se ire – e é evidente que não queremos que isso aconteça. Por isso, se, por algum motivo, você irou o Todo-Poderoso, não se desespere. Antes, confesse seu pecado a Ele, peça-Lhe perdão e espere a paz e alegria do Senhor em seu coração. Quando esses dois sentimentos inundarem seu ser, sentirá que Deus, pessoalmente, restaurou-lhe a comunhão.


Não sabemos exatamente o que o Altíssimo sofre, mas isso acontece pela nossa estupidez. No entanto, o arrependimento acompanhado de uma oração sincera – como, muitas vezes, Moisés fez em favor dos israelitas, no deserto (Números 14.19) – aplaca a ira divina. Então, uma vez que ela chega ao fim, o Pai celeste volta a trazer o contentamento e a paz ao filho que errou e arrependeu-se verdadeiramente. É bom saber que Deus tem sentimentos, não é verdade?


Um sinal de que o favor divino voltou a nos alcançar é quando o nosso coração passa a sentir o desejo de buscar o Senhor, confessando o pecado. Nessa iniciativa de Deus, está a vida!


O Altíssimo nos deixa a sós por um leve momento, mas para que sintamos quão terrível é viver na escuridão. Então, quando o dia chega, a alegria volta a inundar o nosso ser. Então, nós nos levantamos, sentimo-nos amados e voltamos a ser fortes. O amor do Todo-Poderoso em nosso coração nos faz reviver, e, somente assim, realizamo-nos e nos tornamos verdadeiramente filhos abençoados. Por isso, não é bom perder a visitação do Senhor.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

www.ongrace.com

domingo, 28 de junho de 2009

Disse Jesus: NADA PERMANECERÁ


Jesus, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada (Mateus 24.2).


Podemos observar as grandes construções e achar que quem as fez realizou algo que durará para sempre, mas isso não passa de ledo engano. Tudo o que existe hoje nos céus e na terra passará (Mateus 24.35). No entanto, a arrogância do homem o faz supor que, por exemplo, por ter participado de alguma descoberta, ele é superior aos seus pares. Quem está no comando sempre se sente melhor e mais capacitado do que seus comandados, mas tudo aquilo que o homem constrói, um dia, será derribado.


Não podemos negar que há obras humanas de tirarem o fôlego, porém, quase nunca paramos para observar as obras do Criador. Essas, sim, são maravilhosas e surpreendentes, como, por exemplo, uma linda declaração das Escrituras ou uma pequena criatura, que, por milhares de anos, reproduz-se com a mesma qualidade e beleza. Pouquíssima gente tem dedicado tempo para estudar o que o Senhor fez. Ao analisarmos o porquê disso, descobriremos lições maravilhosas que nos irão ajudar a viver melhor.


O que o ser humano constrói pode ser lindo, funcional, bem como o produto de um trabalho feito com certa sabedoria, mas não durará para sempre, pois somente a comida que o Senhor Deus nos dá irá acompanhar-nos por toda a eternidade (João 6.27).


A Escritura declara que, no acerto de contas, o qual, um dia, irá realizar-se, tudo o que existe será queimado pelo fogo, e os elementos, ardendo, irão fundir-se (2 Pedro 3.10). A perda será grande? Não! Porque o valor dessas coisas criadas só serve para esta vida, pois, com a segunda vinda do Senhor Jesus, habitaremos em novos céus e nova terra (v. 13).


Há pessoas que se consideram melhores que as demais por terem descoberto algo. No entanto, a verdade é que elas não são inventoras, mas, sim, descobridoras. Seguindo princípios já criados pelo nosso Deus, cientistas produziram, por exemplo, medicamentos que curam várias doenças; outros planejaram os mais modernos meios de transporte, aparelhos que emitem sinais de rádio e captam imagens a milhares de quilômetros etc. Tudo isso foi cuidadosamente programado pelo Senhor, e, sem Ele, nada do que foi realizado iria concretizar-se (João 1.3). Uma boa dose de humildade faria dessas pessoas melhores cidadãos.


A qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá (Lucas 12.48b). Quem foi colocado para dirigir os outros deve considerar-se servo, e não senhor. E os que foram usados em descobertas devem preparar-se para verem suas “invenções” serem destruídas no fogo, o qual será derramado sobre esta terra. Mas quem fizer a vontade de Deus verá a obra de suas mãos permanecer para sempre.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

sábado, 27 de junho de 2009

OS MANDAMENTOS TRAZEM ENTENDIMENTO


Pelos teus mandamentos, alcancei entendimento; pelo que aborreço todo falso caminho (Salmo 119.104).


A maior bênção que conseguimos do Senhor é ter Seus mandamentos, e cumprir todos eles é uma grande dádiva. Não há nada mais recompensador do que perdoar a quem nos ofendeu, amar os nossos inimigos, bendizer os que nos maldizem, fazer o bem a quem nos odeia e orar pelos que nos maltratam e perseguem. Para quem não conhece o amor de Deus fica difícil, mas para quem O ama é mais fácil.


Toda revelação do Senhor é um mandamento para nós. Se o cumprirmos, alcançaremos o favor divino. Porém, se o desprezarmos, não conseguiremos mais andar com Ele. Receber uma ordenança do Pai é ser colocado no caminho para obter o entendimento de que precisamos para sermos vitoriosos em todos os sentidos.


Uma das ordens de Deus para nós, Seu povo, é que perdoemos a quem nos ofende (Marcos 11.25). Ele não disse que isso deve ser feito somente quando a ofensa for pequena. A verdade é que, não importando o que nos tenham feito, perdoar traduz-se no ato mais recompensador que podemos experimentar.


A ordem do Senhor é mais abrangente: temos de amar quem se tem colocado como nosso inimigo (Mateus 5.44). Se não amarmos tal pessoa, ela não terá a oportunidade de sair das trevas e ir para a luz. O Altíssimo nos dá a graça de amar quem quer ver a nossa destruição, e, por sua vez, iremos vê-lo chegar aos pés de Jesus e experimentar Seu amor.


O mandamento declara também que temos de fazer o bem a quem nos odeia. Para quem vive na carne e só quer aproveitar as bênçãos, essa ordenança é muito difícil de ser praticada. No entanto, para nós, servos de Deus, é fácil cumpri-la. Basta deixarmos que Ele nos use.


O Senhor me deu a oportunidade de escrever o livro intitulado Presente – A dádiva que abençoa a quem o dá, no qual mostro quanto é recompensador enviarmos presentes (orarmos pelos que nos maltratam e perseguem).


Quem guarda os mandamentos alcança sabedoria e, portanto, deve aborrecer os falsos caminhos, que leva a decisões contrárias à vontade divina. Alguns têm até conotações científicas; e outros, apelos religiosos. Todos eles, no entanto, por não estarem escritos na Palavra, devem ser não somente desprezados, mas também aborrecidos.


Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Mensagem Evangélica: PALAVRAS BOAS


O meu coração ferve com palavras boas; falo do que tenho feito no tocante ao rei; a minha língua é a pena de um destro escritor (Salmo 45.1).

Podemos encher o nosso coração de palavras boas ou ruins; a opção é nossa. Mas o enviado de Deus deve falar somente a Palavra do Senhor. O segredo para enchermos o coração de boas declarações é dizer o que temos feito no tocante ao Rei. Que tipo de língua é a sua, de um destro ou de um desastrado escritor? O que proferirmos fará com que sejamos bem-sucedidos ou não.

Temos a opção de fazer do nosso coração um paiol de palavras boas ou más. O que colocarmos dentro dele a nossa boca falará (Lc 6.45). Quem vive confessando derrotas e coisas negativas deve abrir os olhos, pois a sua vida será exatamente da maneira como é o seu discurso. Falar de acordo com a revelação do Senhor é o segredo do viver vitorioso.

Todos aqueles que são do Senhor devem falar de acordo com Sua Palavra, pois é assim que Ele espera que façam os que Lhe pertencem. Se o meu prezado leitor estiver passando por uma fase difícil, não abra a boca para confessar a dificuldade. Declare tão-somente o que o Santo Espírito tem colocado nas Escrituras. As palavras têm peso, quer sejam boas ou más, e, invariavelmente, seremos o que a nossa boca proferir.

Pouca gente já descobriu que, para o coração ficar cheio de declarações boas, é necessário testemunhar acerca do que tem feito no tocante ao Rei. Quem não fala do Senhor para os perdidos e necessitados perde muito. Ao anunciarmos o plano de Deus para uma pessoa, somos enriquecidos de modo surpreendente, pois, verdadeiramente, é dando que se recebe. Ao abrirmos a boca e contarmos o que temos feito no que diz respeito ao Rei, tanto para alguém quanto para o próprio Senhor, em oração, o nosso coração ferverá com boas palavras.

Quem tem o coração cheio de preciosidades possui a língua de um destro escritor. Quando falamos sobre o que temos feito no tocante ao Rei, um fogo gostoso e purificador se acende em nós, para nos santificar e dar condições de repreender o inimigo.

Nada acontece por acaso. Quem deseja vencer as forças infernais precisa o mais rápido possível confessar o que o Verbo divino lhe tem dado. Se ainda não tem feito nada para o Senhor, deve começar o quanto antes. Decida-se a ser quem o Senhor diz que você é. As boas palavras podem mudar a sua vida para melhor, agora, onde você está. Com Cristo, você é fortalecido para fazer a vontade divina.

NEle, com amor,

R. R. Soares

quinta-feira, 25 de junho de 2009

FIQUE NA CHAMADA DE DEUS


E o SENHOR, Deus de Israel, escolheu-me de toda a casa de meu pai, para que eternamente fosse rei sobre Israel; porque a Judá escolheu por príncipe, e a casa de meu pai, na casa de Judá; e entre os filhos de meu pai se agradou de mim para me fazer rei sobre todo o Israel (1 Crônicas 28.4).


Na chamada de Deus, não cabe humildade, mas, sim, reconhecimento. Ele o escolheu por Seu único propósito. Foi o agrado dEle que O fez estender sobre a sua vida a graça divina. Se você fizer a sua parte, ninguém o tirará das mãos do Senhor (João 10.27-30). A sua chamada é eterna e sem arrependimento.


Em todas as coisas, é preciso ser humilde, mas dizer que não tem valor, acreditar que não é nada diante de Deus e, portanto, não pode assumir o que Ele preparou para você é truque do inimigo. Devemos reconhecer que Seu eterno plano fez com que Ele nos chamasse para sermos dEle; que, em Cristo, somos membros do Seu Corpo e cumpre tão-somente a nós, agora, a decisão de sermos felizes ou nos arrastarmos na dúvida e nos erros. Ele nos chamou para sermos reis e sacerdotes dEle para sempre (Efésios 2.1-10; Apocalipse 5.9,10).


Não somos pouca coisa, não. Somos filhos, herdeiros, embaixadores do Reino dos Céus e tudo o mais que a Palavra de Deus declara. É claro que reconhecemos que foi Ele quem nos fez tudo isso e devemos servir-Lhe com humildade e temor. Mas, ao mesmo tempo, faz-se necessário assumir com confiança a nossa posição em Cristo e, com destemor, fazer valer nossos direitos e privilégios (Hebreus 10.19-22). De nós mesmos, não tínhamos nada que nos levasse a merecer essa escolha, mas aprouve a Ele tal decisão.


Por que contrariar a resolução do Pai de nos amar de tal maneira? O que Ele fez por cada um de nós foi tão grande, que, se você fosse o único no mundo, Ele teria enviado Jesus para morrer em seu lugar. A salvação é pessoal, a escolha é pessoal e a decisão também o é. Quem não recebeu Jesus como Salvador e Senhor da sua vida ainda está no pecado. Mesmo que seja uma pessoa investida de autoridade, com cargo importante na igreja, se não passar pelo novo nascimento, não terá condições de aproveitar o que para ela foi feito pelo Filho de Deus (João 3.3). Ele Se agradou de nós ao estender sobre a nossa vida Sua maravilhosa graça.


Para tudo isso se tornar real em sua vida, basta que você faça a sua parte. Crendo no que a Palavra diz, tenha certeza de que ninguém o tirará da sua posição em Cristo. Ele o chamou para ser dEle e o fez rei e sacerdote. Em Cristo, você alcançou tudo o que qualquer pessoa poderia ter de Deus. Você é completo nEle (João 1.16; Colossenses 1.19; 2.9).


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


quarta-feira, 24 de junho de 2009

O SENHOR HONRA OS SEUS PROFETAS


Certamente o Senhor JEOVÁ não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas (Amós 3.7).


Que Deus fantástico nós temos! Ele Se comprometeu a não fazer algo sem revelar isso aos Seus profetas. Então, ouça-os, pois é por intermédio deles que o Pai revela Seu segredo.


O Todo-Poderoso ama o companheirismo e honra quem O honra. Mesmo sendo grande e tendo o mundo todo para atender e cuidar, Ele Se lembra daqueles que por Ele foram chamados para ser profetas e, quando realiza algo, primeiro, revela-o a esses Seus servos. Ele é extraordinário, não é verdade?


A importância dada por Deus a quem Ele chama para ser profeta é algo além do que podemos imaginar. Mas por que alguns não são avisados? A resposta é óbvia: ou não estão em sintonia com o Pai ou eles próprios se constituem profetas. É loucura uma pessoa inventar um ministério, abrir uma igreja ou se intitular representante do Senhor sem que tenha sido chamada para isso, pois é o Altíssimo quem estabelece os dons em Sua obra.


Um profeta verdadeiro não fala de si mesmo nem se deixa orientar por quem quer que seja. Ele serve a Deus, dEle recebe a mensagem e a entrega. Às vezes, o recado é sério, mas, sendo o profeta um servo do Senhor, o Pai cumpre o que lhe foi mandado. Bem fará todo aquele que, sentindo que a profecia é verdadeira – pois o Espírito Santo a confirma no coração de quem a ouve –, põe-se a executá-la. Ouvir os profetas é sinal de sucesso.


Muitas vezes, uma simples conversa com o profeta do Senhor consegue dissipar uma dúvida enorme ou dar a direção para um assunto muito grave. Todas as vezes que pregamos a Palavra de Deus, entregamos profecias. Quem ouve o recado e o cumpre tem, certamente, a mão do Onipotente operando em seu favor.


Deus não brinca em serviço. Qualquer ato executado pelo Senhor é um juízo que Ele estabeleceu. Sendo assim, o inimigo jamais conseguirá desfazer o que o Pai fez por nós, a menos que colaboremos com o mal, como Eva fez no Paraíso. Todos os atos divinos são sem arrependimento (Romanos 11.29), e Suas obras são juízos irrevogáveis (Salmos 19.9; 111.7).


O Senhor não parou de revelar aos Seus profetas o que Ele está por fazer. Se esses não se acovardarem e, então, entregarem o recado, a obra será realizada. Mas, atenção: tudo aquilo que Deus fará já foi declarado nas Escrituras. Nenhum ato que não esteja escrito na Bíblia será executado por Ele.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

terça-feira, 23 de junho de 2009

CUIDADO COM OS ÍMPIOS


O ímpio tira o presente do seio para perverter as veredas da justiça (Provérbio 17.23).


O ímpio não é somente o perdido, mas também alguém que se mistura ao povo da Igreja e não obedece à Palavra de Deus. Em nosso meio, há muitas dessas pessoas. Elas têm uma maneira cativante de falar, parecem-se com gente santa e vitoriosa, de modo geral, nunca ofendem, estão sempre prontas a elogiar e dar o mau conselho. Quem as escuta terá pervertidas as veredas da justiça em sua vida. O resultado disso será o fracasso, e, se não houver mudança de comportamento, virá a destruição final.


Temos o costume de chamar os pecadores de ímpios, mas eles são mais do que isso, pois ainda estão debaixo do jugo escravizador do inimigo. Não é o caso dos que alegam conhecer o Evangelho. É, portanto, por suas ações, que aquele que se diz cristão se dá a conhecer se é ou não ímpio.


Quem não respeita a Palavra de Deus é ímpio, pois não há impiedade maior do que desrespeitar o que o Senhor tem estabelecido como padrão de conduta para Seus filhos. O ímpio freqüenta as nossas reuniões, canta os nossos hinos, anota as pregações, mas nunca obedece aos preceitos divinos e não tem respeito pelos mandamentos.


Sem dúvida, podemos afirmar que há muitas dessas pessoas em nosso meio. Elas são perigosas, porque, em um momento de fraqueza, conseguem colocar, no coração dos incautos, decisões e caminhos exatamente opostos ao que o Senhor deseja. Fugir dos ímpios é uma boa decisão (Salmo 1).


A maneira cativante como falam faz com que sejam parecidos com aqueles que vivem piedosamente. Eles se apresentam como vitoriosos, quase sempre são educadíssimos e estão sempre prontos não só para elogiar, mas também para dar o mau exemplo. O pior é que, por serem, muitas vezes, bem-sucedidos, os novatos no Reino de Deus são tentados a pensar que eles servem ao Senhor e, por isso, podem viver de modo liberal, pois descobriram um meio melhor de servir a Deus e conseguir as bênçãos.


É exatamente nisso que reside o perigo. Quem pauta seu procedimento pelo exemplo que essas pessoas dão, quando abrir os olhos, verá que as veredas da justiça foram pervertidas em sua vida. Deus não terá por inocente quem se mirar nos ímpios, porque Ele determinou que olhássemos para Jesus, Autor e Consumador da fé (Hebreus 12.1,2).


O resultado de seguir os maus exemplos dos ímpios é inexoravelmente a derrota total. Pondere bem e veja qual é a sua situação enquanto é tempo (Isaías 55.6).


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


Fonte: www.ongrace.com


Pedido de oração para minha mãe:

Disse Jesus: "Quando duas ou mais pessoas estiverem reunidas em meu nome, eu estarei entre eles".

Sou administrador desse blog e acredito muito no poder da oração. É por isso que peço aos meus irmãos que orem pela saúde de minha mãe. O nome dela é Ivone Prates. Anos atrás ela operou de um aneurisma na Aorta e a cirurgia foi um verdadeiro milagre mas desde então ela sofre de pressão alta. Ontem a pressão chegou a 22/12, ela sentiu uma forte dor no peito e foi levada para emergência do hospital. Como Deus é o Senhor dos milagres, ela já está em casa mas os médicos estão preocupados e falou que se a pressão tivesse subido mais um pouquinho inevitavelmente ela teria tido um Infarto ou AVC.

O fato mais impressionante é que ela estava há alguns meses sem frequentar a igreja e no domingo enquanto eu me arrumava para ir ao culto me deu aquele impulso de pedir para ela ir comigo e ela aceitou. Depois que voltamos ela estava se sentindo renovada. No dia seguinte (segunda-feira) aconteceu isso tudo e ela acredita que não teve um infarto fulminante por ter ido a igreja no dia anterior e Deus ter acalmado o coração dela.

É por isso, meus irmãos, que faço esse pedido de oração. Quero que ela se fortaleça mais na fé e que Deus cure todas as frustrações e tristezas que causam esse aumento de pressão. Se nos reunirmos em oração em nome de Jesus com o mesmo propósito, Ele se fará presente entre nós e operará o milagre.

Desde já agradeço e abro esse espaço no meu blog para todos que necessitarem de pedidos de oração. Qualquer dúvida, sugestão ou para entrarem em contato comigo coloquem recados do mural do blog ou mandem um e-mail para vamosadorar@gmail.com ou tiagoprates@gmail.com. Será muito importante receber a oração de vocês nesse momento difícil. Agradeço de coração!!!

Tiago Prates

segunda-feira, 22 de junho de 2009

DOUTRINAS QUE ABORRECEM O SENHOR


Assim, tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu aborreço (Apocalipse 2.15).


Só deve haver uma doutrina, a do Senhor. Mas, ao longo dos séculos, muitos, que se julgaram iluminados, criaram as mais variadas doutrinas. Ninguém pode criar procedimentos além daqueles prescritos pelos Céus. Isaías, o profeta, já havia escrito: À lei e ao testemunho! Se não falarem de acordo com as Escrituras, neles não há luz (8.20).


Os princípios criados pelos homens, ainda que bem intencionados, servem apenas para criar confusão e escravidão. Não há quem possa colocar outro fundamento, além do que Deus colocou – Jesus. Portanto, basta-nos a doutrina contida na Bíblia.


Com o objetivo de instruir sobre aquilo que achavam ser certo, mas que não tinha respaldo bíblico, foram criadas doutrinas no cristianismo, as quais levaram muitas pessoas a fazerem a vontade de homens irresponsáveis e a deixarem de realizar o que o Mestre determinou. Tais “iluminados” teriam feito um bem grande para si mesmos e seus seguidores se tivessem ficado calados ou agido conforme a Palavra de Deus.


Nos dias de Jesus, os fariseus e os saduceus, além de outros grupos menores, inventavam uma série de ensinamentos alheios à revelação do Senhor, os quais faziam o povo tropeçar. Cristo desprezou tudo o que os religiosos haviam criado e disse que eles O honravam com os lábios, ensinando preceitos de homens (Marcos 6.6,7). O Mestre ainda advertiu que eles impunham cargas pesadas para os outros carregarem, mas eles mesmos não as moviam nem com um dedo (Lucas 11.46).


Apesar da opulência de alguns desses dogmas, eles não têm condições de aproximar o indivíduo de Deus, pois não passam de lixo espiritual que deve ser descartado. Somente a volta à Palavra coloca qualquer pessoa na conduta correta.


Não é aconselhável falar alguma coisa, além daquilo que o Senhor nos prescreveu. Essa idéia de inventar princípios para agradar ao Altíssimo, na verdade, agrada ao inimigo, que, por meio deles, impede muitos de se achegarem ao Pai. Tudo tem de estar de acordo com a Lei e o Testemunho; o contrário disso não passa de doutrina de demônio.


Não faça nem adote algo que não provenha de Deus, tampouco tome uma posição contra a vontade do Senhor.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


domingo, 21 de junho de 2009

PERDÃO, O ATO MAIS NOBRE


E, se pecar contra ti sete vezes no dia e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me, perdoa-lhe (Lucas 17.4).


Pecar é algo sério. Porém, mais sério ainda é negar o perdão. Não deve haver limites em perdoar. Se nós, sendo humanos, somos orientados a fazê-lo todas as vezes que alguém nos procura e confessa que agiu errado contra nós, quanto mais perdoará o Pai àqueles que forem a Ele e confessarem o erro. O perdão é o ato mais nobre que alguém pode praticar.


O pecado é algo que jamais deveríamos cometer, e suas conseqüências estão além da nossa compreensão. A pessoa que pratica a iniqüidade abre brechas para o diabo, o qual a tem nas mãos. Quando pecamos contra alguém, nós o magoamos e ferimos. Então, após termos cometido a ofensa, a decisão mais correta é procurá-lo e, com sinceridade, pedir-lhe desculpas.


Creio que, antes de procurarmos quem nos magoou, devemos acertar-nos com o Senhor, pois todo pecado é, a princípio, contra Ele. Quem mente peca contra a verdade; quem age mal peca contra a bondade; quem adultera peca contra a fidelidade, e assim por diante. Todas as virtudes são atributos divinos, e, se nós não as respeitamos, devemos, em primeiro lugar, pedir o perdão de Deus. Em seguida, temos de suplicar que Ele fale ao coração ferido que nos libere e nos dê sabedoria para fazer tal pedido.


Por outro lado, aquele que nos procura depois de acertar-se com o Senhor tem o direito de ser desculpado. A pessoa que nega o perdão deixa que o diabo a use e incorre em um erro maior; portanto, deve resolver-se com Deus e procurar quem teve a hombridade de lhe pedir o perdão e acertar-se com ele também. Para conceder perdão, não há limites.


Se, como falíveis que somos, o Senhor nos orienta a perdoar tantas vezes quantas o ofensor nos procurar, quanto mais Ele, o qual é infalível, perdoará àqueles que Lhe confessarem seus erros.


Quem perdoa se iguala a Deus nesse nobre ato. O Senhor garante que, após perdoar, não Se lembra mais dos nossos erros (Isaías 43.25). Portanto, perdoar significa esquecer a ofensa. Alguns, no entanto, objetam que é difícil ter sido passado para trás, ou dói ter sido traído por alguém em quem mais se confiou, e a ferida ainda não cicatrizou. Mas quem pensa assim se esquece de que o coração do Pai – que é amor – é muito mais sensível do que o nosso. Se confessarmos a Ele todos os nossos erros, por maiores que sejam, Ele é fiel e justo para nos perdoar [...] e nos purificar de toda injustiça (1 João 1.9). A maior garantia de que fomos perdoados é que Ele não Se lembra mais do erro confessado.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

sábado, 20 de junho de 2009

Mensagens de RR Soares: PECAR CONTRA CRISTO


Ora, pecando assim contra os irmãos e ferindo a sua fraca consciência, pecais contra Cristo (1 Coríntios 8.12).


A situação mais desagradável que nos pode acontecer é se alguma pessoa ficar triste ou escandalizada conosco, pois, nesse caso, teremos pecado contra Cristo. Ele é quem nos guarda e impede o maligno de cumprir seus maus intentos contra nós. Quem peca contra o Senhor o faz contra si mesmo; mas aquele que está em paz com Deus desfruta do Seu amor, da Sua bondade e do Seu querer.


Pecar contra Cristo, para mim, ocorre quando alguém, estando fora de si ou tomado pelo inimigo, faz um dos discípulos de Jesus ficar desiludido com a fé e com o próprio Senhor. Não entendo como alguém que ama Deus é capaz de praticar tal ato. No entanto, muitas pessoas não se importam em averiguar se o irmão é maduro ou não na fé, se ele é forte ou fraco, e agem de forma a ofender aqueles por quem o Senhor morreu, fazendo-os desviar do Caminho. Isso é pecar contra Cristo. Essa é a obra mais infeliz que alguém pode praticar.


É o Senhor quem pessoalmente guarda aqueles que nEle confiam. Com a vigilância do Pai, o diabo fica impossibilitado de cumprir em nós os seus desejos nefastos. Ademais, o nosso Deus tem planos maravilhosos a nosso respeito. Então, por que fazer algo que nos trará um prejuízo enorme? Por que não viver com base no plano divino, se é tão bom e recompensador ser o endereço de Suas bênçãos? (cf. Jeremias 29.11).


Pecar contra o Senhor é pecar contra si mesmo. Quem é capaz de se odiar? Ao fazer extraviar um dos pequeninos que crêem em Jesus, a pessoa comete o ato mais insensato de sua vida (Marcos 9.42). E o pior é que muitos o estão cometendo e nem se dão conta disso.


É preciso que olhemos para o modo como vivemos, reflitamos sobre o que falamos e pensemos acerca das nossas decisões. Se o que desejamos fazer provocar o enfraquecimento de um irmão, fraco na fé, será melhor não praticarmos tal ato. É preferível tomar um prejuízo a ser responsável pela perdição de uma pessoa. Nada neste mundo tem valor maior ou igual ao de uma vida. Se for preciso sofrer para que alguém seja salvo, esse sofrimento é digno de ser experimentado. Em muitos casos, isso se encaixa nas chamadas aflições de Cristo (1 Pedro 4.12-16).


Por outro lado, quem está em paz com Deus está em paz com todos e tem o poder divino a seu dispor. O amor do Pai opera em todos aqueles que fazem Sua vontade. Se depender de você, jamais deixe alguém triste ou escandalizado. Cumpra os mandamentos e seja uma pessoa verdadeiramente vitoriosa. Tome sempre a atitude recomendada pela Palavra, e não haverá escândalo em sua vida.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


sexta-feira, 19 de junho de 2009

Mensagens bíblicas: VAI E PROFETIZA


Mas o SENHOR me tirou de após o gado e o SENHOR me disse: Vai e profetiza ao meu povo Israel (Amós 7.15).


Temos muito que aprender de Deus. Ele buscou Amós, um boiadeiro e colhedor de sicômoros, para profetizar ao Seu povo, desprezando, assim, qualquer classe sacerdotal preparadíssima no aspecto religioso. Ainda hoje, o Senhor vai aos lugares humildes para encontrar pessoas que, de fato, estejam decididas a servir-Lhe. Nem sempre, aqueles que ostentam espiritualidade e se mostram santos e consagrados estão preparados para a obra do Senhor. De uma hora para outra, o Altíssimo levanta quem, na verdade, pode ocupar o ministério, e muitos dos que são escolhidos por Ele recebem a incumbência de profetizar ao Seu povo.


Se permitirmos, Deus irá ensinar-nos tudo na vida, pois nada está oculto aos Seus olhos. Ele, inclusive, conhece os planos malignos, quando estes estão ainda sendo formados pelo inimigo, e sabe qual é a saída correta para qualquer crise. Jesus disse que deveríamos aprender dEle, que é manso e humilde de coração (Mateus 11.29).


Nos dias bíblicos, a religião judaica era pomposa. Os sacerdotes se mostravam bem capacitados e ostentavam uma arrogância tão grande, que muitas pessoas pensavam que eles eram especiais. No entanto, Deus desprezou tudo aquilo e chamou para ser Seu profeta um homem que ganhava a vida trabalhando com bois e colhendo frutos. Ainda hoje, os métodos do Senhor são os mesmos e jamais mudarão. Quando o homem se envaidece e se mostra dono da verdade, o Altíssimo levanta alguém do povo para ser Seu representante. Para confirmar essa afirmação, basta ver aqueles que Ele tem escolhido e usado. Os homens que são instrumentos do Senhor em nossos dias têm, atrás de si, a sabedoria do próprio Deus.


Uma coisa é alguém afirmar ser representante do Pai, outra é ter a identidade assinada pelo Altíssimo como tal. Essa identidade está nas obras que a pessoa realiza em Nome do Senhor. Profetizar biblicamente é falar a Palavra sob a unção do Espírito de Deus. Quando isso ocorre, o poder divino A confirma com os sinais (Marcos 16.20).


O Senhor não chama ninguém para promoção pessoal. Os que, de fato, são levantados por Ele também por Ele são honrados. Quando esses abrem a boca, todos sentem que o Todo-Poderoso está naquele ministério. Então, há operação de sinais e maravilhas, e o povo tem a vida transformada. Quem é usado por Deus leva as pessoas a decidirem pelo que é certo e a mudarem de atitude.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

quinta-feira, 18 de junho de 2009

DEUS AMA OS QUE O AMAM


Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão (Provérbios 8.17).


É preciso entender o que significa amar na linguagem divina. A quem O ama Ele promete amar – fazer o que for necessário para que sejam cumpridas as promessas na vida da pessoa. Quem busca Deus de madrugada – antes de os problemas surgirem – certamente O acha. A pessoa que espera para recorrer ao Senhor depois de ser afligido, muitas vezes, não O encontra. Por isso, é preciso buscá-lO enquanto é tempo (Isaías 55.6).


Conhecer o tipo de amor referido pelo Senhor faz toda a diferença. Ele ama os que O amam. Em João 14.21, Jesus disse que quem tem os Seus mandamentos e os guarda é o que O ama. É necessário ter os mandamentos para amá-lO. Quando o Senhor cumpre Suas promessas, Ele prova que nos ama. No entanto, Ele só cumpre o que prometeu quando observamos Seus mandamentos. O cumprimento de Suas leis nos prepara para receber Suas operações. Não há como obtermos Seu amor se não provarmos, primeiro, que O amamos.


Alguém pode achar esquisito o fato de o Pai exigir a nossa ação antes da dEle, mas não é bem assim. Ao nos dar Seus estatutos, Deus já está provando que nos ama. Dessa forma, Ele abre a porta ao nos mostrar o que devemos fazer para nos colocarmos na posição em que poderá operar. Se não fizermos o que o Senhor ensina, Ele ficará incapacitado de agir em nós.


O plano divino para a humanidade é completo e é para todos, pois Ele não faz acepção – diferença – entre as pessoas (Deuteronômio 10.17, Atos 10.34, Romanos 2.11). Todos têm as mesmas oportunidades, mas muitos fazem pouco caso do que o Senhor lhes oferece. Creio que, no grande Dia, será mostrado o desdém que muitos tiveram com relação às ofertas vindas de Deus. É preciso que os arrogantes saibam que o Senhor não é Um igual a nós, o qual deseja nos ganhar como lucro. Ele é completo, onipotente, onisciente e onipresente, e, por misericórdia, estende a Sua graça para que possamos sair de debaixo da opressão maligna e nos achegar ao Seu Reino.


Eu traduzo a expressão buscar o Senhor de madrugada como buscar antes que surjam os problemas. É claro que quem O procura depois de estar cheio de conflitos encontrará a ajuda dEle. Contudo, quem faz isso quando as coisas estão bem e tudo parece maravilhoso haverá de encontrá-lO, pois Jesus disse que quem busca encontra (Mateus 7.7,8). Porém, infelizmente, as pessoas O procuram, muitas vezes, quando para elas já é tarde demais.


O certo é clamar a Deus enquanto é tempo. Com Ele, evitaremos inúmeros sofrimentos. Quando O procuramos, simplesmente, porque desejamos encontrá-lO, as situações tomam outro rumo, pois, com a Sua direção, sempre seremos bem-sucedidos (Romanos 8.37).


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

quarta-feira, 17 de junho de 2009

O MODO CORRETO DE AGIR


Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar (Salmo 119.49).


O Senhor não é esquecido, mas gosta de ser sempre lembrado do que nos prometeu. Quando nós O lembramos de alguma bênção prometida na Palavra, na verdade, estamos inteirando-nos dessa promessa e reivindicando-a pela fé.


Só conseguimos algo de Deus pela fé, e, sem ela, ninguém agradará ao Altíssimo (Hebreus 11.6). O inimigo, no entanto, consegue fazer com que deixemos de lado as promessas e oremos de modo religioso. Quem intercede assim suplica por uma graça como se ela fosse uma esmola, algo difícil de ser obtida. Há pessoas as quais acham que, enquanto não chatear muito o Senhor, Ele não irá operar. A verdade é que basta uma palavra, e o servo será curado (Lucas 7.7). Quem anda pela fé age de modo oposto dos religiosos (2 Coríntios 5.7).


É claro que Deus não tem problema de memória, mas um hábito bom é lembrá-lO do que nos tem prometido. Isso faz um bem muito grande para a nossa alma. É importante trazer à memória aquele culto, a presença do Senhor, a mensagem que o pastor pregou e o momento em que o Pai celeste falou ao seu coração, fazendo você entender o plano dEle. Recorde-se do que sentiu; da decisão de ser a pessoa que Deus queria que você fosse, e do entendimento de que alcançaria a dádiva que Ele mesmo lhe mostrou.


Ao lembrarmos o Senhor acerca de tudo isso, nós nos transportamos para aquele momento maravilhoso, e a fé brota em nosso coração, capacitando-nos a determinar o que quisermos (João 15.7). Experimente fazer isso na próxima vez que orar e verá o quanto crescerá espiritualmente. É agindo assim que se consegue “convencer” o Criador, e a bênção chega mais depressa do que pensávamos.


A verdade é que não se pode obter nada do Altíssimo por nenhum meio a não ser pela fé. Quem promete ser “bonzinho” ou oferece alguma coisa ao Senhor em troca da bênção está, certamente, ofendendo-O. Sem fé, não conseguimos agradar a Deus, e, tentando suborná-lO, estaremos desrespeitando-O.


O maior desejo do adversário é que creiamos no fato de que agir por fé é difícil, para que passemos a orar e nos comportar de maneira religiosa. Veja nos evangelhos como Jesus orava e aja do mesmo modo. Afinal, quem nEle crê deve agir como Ele agia (1 João 2.6).


A graça não é uma esmola e é fácil consegui-la; basta cumprir as recomendações bíblicas. Não fique chateando o
Senhor para Ele operar, pois isso demonstra insensatez (Mateus 6.7). Como disse o centurião romano, basta somente uma palavra.


Aprenda como o Salvador e os apóstolos agiam e não imite mais os religiosos. Ande pela fé, a qual lhe dará os meios para ser bem-sucedido em tudo, especialmente no serviço ao Senhor.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

terça-feira, 16 de junho de 2009

A ESTRANHA OBRA DO SENHOR


Porque o SENHOR se levantará, como no monte de Perazim, e se irará, como no vale de Gibeão, para fazer a sua obra, a sua estranha obra, e para executar o seu ato, o seu estranho ato (Isaías 28.21).


O Senhor não mede esforços para praticar a justiça e ajudar os Seus. Por isso, loucas são as pessoas que desejam atingir quem é do Senhor. O nosso Deus cria estratégias, traça planos e luta em favor de quem nEle põe a sua confiança. O relato de Isaías nos relembra o que aconteceu quando Davi foi confirmado rei sobre Israel e os filisteus foram envergonhados e derrotados ao se levantarem contra o ungido do Senhor (2 Samuel 5.17-25, 1 Crônicas 14.8-17).


Deus repete Suas ações. Ele ama a justiça, bem como os que são dEle (Salmo 37.28). Todos os injustiçados podem reivindicar a ajuda divina, pois ela lhes será dada. Os que fazem maldade contra os filhos de Deus pagarão um preço alto não somente no Dia do Juízo, mas também durante os dias em que viverem aqui. O Altíssimo fará o necessário para ajudar aqueles que O procuram.


Fazer o mal contra qualquer pessoa já é uma loucura, porém, aquele que planeja algo contra os servos de Deus comete a pior das asneiras. O Pai tem um apreço tremendo por todos aqueles que fazem parte do Seu Corpo. Se os filhos do Senhor, ao serem desafiados ou afligidos, orarem, receberão a direção exata do que deve ser feito para vencer os inimigos.


Davi havia acabado de ser reconhecido como rei sobre todo o Israel. Os filisteus, achando que era a hora mais propícia para vencê-lo, foram com toda a fúria e força para envergonhá-lo. Mas não contavam com a coragem daquele servo do Senhor e com o que Deus é capaz de fazer em favor de quem é dEle. O Altíssimo mostrou ao rei como deveria lutar, e o próprio Deus criou os meios para que Sua obra, ainda que parecesse impossível, fosse realizada. Ele fez com que os filisteus fossem envergonhados e derrotados.


Se os “filisteus” dos dias de hoje investirem contra a sua vida, lembre-se de que todo aquele que decidir tocar no ungido do Senhor pagará um preço alto demais (1 Crônicas 16.22, Salmo 105.15). Lutar contra os que pertencem à geração eleita é decretar a própria derrota. Como aconteceu com Davi, o Senhor nos dará os planos e ensinará o que deve ser feito.


Não tenha medo das ameaças do adversário. Levante-se para lutar contra ele e vencê-lo. Peça ao Senhor a direção e, destemidamente, faça a obra. Não deixe de assumir seus direitos em Cristo, pois eles estão ao seu dispor neste momento.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


segunda-feira, 15 de junho de 2009

DEUS NÃO É INJUSTO


Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra e do trabalho da caridade que, para com o seu nome, mostrastes, enquanto servistes aos santos e ainda servis (Hebreus 6.10).


Há pessoas que são injustas, pois recebem um benefício e não se lembram de quem dedicou seu tempo, sua fé e seu amor para ajudá-las. Mas isso não ocorre com Deus. Tudo o que fizermos para Ele ou pelo próximo em Nome dEle fica como memorial eterno diante de Seus olhos, e, um dia, Ele irá recompensar-nos até mesmo pelo ato de bondade mais simples que tenhamos cometido (Mateus 10.42). Os que trabalham no Evangelho, direta ou indiretamente, precisam sempre se lembrar de que o Senhor nunca Se esquece de qualquer atitude nossa, até mesmo de um simples gesto de cortesia. Todas as coisas estão claras e patentes diante dEle.


Não importa a obra que nos foi colocada a realizar. Vamos fazê-la de coração, pois o Senhor anota todo o trabalho de amor que temos empreendido para que os perdidos sejam iluminados e os santos tenham suas necessidades supridas. Por uma simples entrega de folheto, um testemunho dado, uma oração ou uma visita feita a alguém para iluminar aquele coração, sem dúvida, receberemos a recompensa dos Céus.


Mas atenção: tudo deve ser feito para a glória do Nome de Jesus, pois, assim, temos a garantia de sucesso. Na passagem de hoje, vemos isso muito claramente. Aqueles irmãos citados em Hebreus mostraram que sua obra e seu trabalho eram feitos para o Senhor, e, por isso, havia esperança de bênçãos da parte divina.


Observe que eles serviam aos santos. Hoje, como naquela época, esses também precisam ser servidos. Os chamados pelo Senhor, muitas vezes, servem tanto que se esquecem de suas necessidades. Quão bom é quando alguém se lembra de nós e nos serve com aquilo que o Ele coloca em seu coração.


Se o Pai tem-lhe dado a incumbência de interceder pelos que estão na linha de frente na obra divina, continue a servir-Lhe. As pessoas que foram estabelecidas nesse ministério são iguais a todas as outras. Muitas se deixam levar por tentações e perdem o foco do Senhor. Mas, se você sentir no coração de ajudar em oração esses guerreiros da Verdade, não deixe de fazê-lo. Há casos em que a luta poderá ser tão dura, que o intercessor sofrerá tanto quanto o que a está enfrentando. No entanto, nada nos aflige, pois sabemos que o Altíssimo pagará pelo trabalho e amor demonstrado aos Seus.


Com amor, no Senhor,


R. R. Soares



domingo, 14 de junho de 2009

TUDO JÁ NOS FOI DADO


Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude (2 Pedro 1.3).

Poucas pessoas sabem que já lhes foi concedido tudo o que diz respeito à vida. Com a queda de Adão, entretanto, morremos espiritualmente e ficamos reduzidos ao mundo material. Diante do pecado, a presença de Deus se foi, a pureza desapareceu, a violência surgiu, junto com a miséria e demais sofrimentos. Mas, com a vinda do último Adão (1 Coríntios 15.45), conseguimos tudo de volta. Agora, basta tão-somente crer no que aprendemos do Altíssimo quando lemos a Palavra ou escutamos a pregação da fé, para que sejamos restituídos com aquilo que se refere à vida e piedade.

Mas o que nos diz respeito à vida e piedade? Saúde, paz, prosperidade, santidade, comunhão com o Senhor, ser cheio do Espírito Santo etc.


Para usufruir dessas bênçãos, é preciso que tenhamos conhecimento dAquele que nos chamou por Sua glória e virtude. Esse é o nosso Senhor Jesus.


Alguns cristãos só frequentam a igreja apenas aos domingos; outros vão, simplesmente, no dia da Santa Ceia; alguns tantos só participam do culto de Natal, da Sexta-Feira Santa ou vão à igreja quando querem. Ao agirem dessa maneira, a vida espiritual deles fica sem sentido, sem um contato contínuo com o Pai. Sem esse conhecimento não nos realizamos. Quem não aprende a orar, a viver em comunhão com o Senhor, a ouvir a Palavra e a pôr em prática o que aprende dEle, não é cristão vencedor, mas alguém que, constantemente, cai em tentação.


Por incrível que pareça, ainda há gente que declara servir ao Senhor, no entanto, tem prazer em assistir a filmes pornográficos, ouvir músicas ou casos picantes, mentir, ser falso e viver como os ímpios vivem. É claro que essas pessoas não estão nas mãos de Deus. Elas apenas se enganam ao professar que pertencem ao Altíssimo e que vão para os céus, pois a Palavra diz que, sem santidade, ninguém verá o Senhor (Hebreus 12.14).


Se o poder divino já nos deu tudo, então por que não reivindicá-lo e crer nele para ser curado? Por que não prosperar? Por que viver abrasado na sensualidade, praticando coisas pecaminosas? Por que não se encher do Espírito Santo e deixar a unção fluir?


Por que não cumprir o plano de Deus para nós? Se tudo é nosso, podemos fazer o que agrada ao Pai celestial. Ele faz votos para nossa saúde e prosperidade, assim como próspera é a nossa alma (3 João 2).


Seja você quem for, viva no mais alto nível, da melhor forma possível. Fuja das paixões infames da carne e seja cheio do Santo Espírito.


Cresça no conhecimento de Jesus e assuma o que lhe foi gratuitamente concedido. Seu sucesso é a realização do Senhor em sua vida!


Em Cristo, com amor,



R. R. Soares

sábado, 13 de junho de 2009

TIRE OS SEUS DA SALA DE EMBARQUE PARA A PERDIÇÃO


E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa (Atos 16.31).


Paulo revelou o segredo: crer em Jesus. O entendimento do que é crer no Salvador é a chave para a salvação da própria pessoa e de toda a sua casa. Por que algumas famílias estão divididas entre salvos e perdidos? Isso é sério, pois, se alguém morrer sem ter aceitado Jesus como Salvador, irá para o inferno. Mas parece que as pessoas não dão muita importância a isso. No entanto, se um parente fizesse alguma coisa errada e estivesse para ser preso, seus familiares se cotizariam e pagariam o melhor advogado para tentar livrá-lo da cadeia. Quem não é salvo já está com a sentença lavrada de que passará não só alguns anos na pior prisão que existe, mas, sim, toda a eternidade (João 3.36). Daqui a milhões de anos, ele ainda estará lá, e os seus familiares salvos não fazem nada hoje.


A Palavra instrui: Crê no Senhor Jesus! Você crê nEle? Antes de dizer sim, entenda que crer em Jesus é crer na Palavra de Deus, viver de acordo com Ela e fazer o que Ela orienta. Se o leitor já é salvo (não vive no pecado), e os familiares estão sendo salvos, de fato, crê em Cristo. Quem mente, trai e faz coisas condenadas pela Palavra deve abrir os olhos e se arrepender, pois ainda não se libertou da autoridade das trevas (Efésios 2.1-10). O sinal de que você está salvo é que já não vive em pecado, e os seus também não (1 João 5.18).


Quem é o primogênito de Deus em um lar tem a responsabilidade de orar e viver de acordo com a Palavra para que os outros também encontrem o Caminho. A divisão familiar entre salvos e perdidos demonstra que quem primeiro aceitou Jesus Cristo não está servindo corretamente o Senhor.


Você e seus familiares não fariam qualquer coisa para livrar da cadeia um membro de sua casa? Se fosse necessário, fariam empréstimos, venderiam até a própria casa e o que mais fosse preciso para pagar um advogado? E o que está fazendo para a salvação dos que ainda estão nas trevas? Se eles continuarem assim, você terá sérios problemas, não é verdade? Então, será que, realmente, crê no que diz a Palavra?


Acorde! O seu filhinho querido, sua irmãzinha do coração, seus pais e outras pessoas que não se arrependerem e não aceitarem Jesus como Senhor e Salvador já têm “a passagem” para o inferno em mãos. Se a chamada for feita para embarcar, eles não poderão dizer não e irão para a perdição. Faça alguma coisa enquanto é tempo; tire-os dessa sala de embarque o mais depressa possível, pois, se embarcarem para esse destino, daqui a milhões de anos ainda estarão lá, no sofrimento eterno.


Neste momento, conserte-se com o Senhor e clame pela salvação dos seus.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

sexta-feira, 12 de junho de 2009

FALE DO FATO MAIS GLORIOSO DA SUA VIDA


E, naquele mesmo dia, farás saber a teu filho, dizendo: Isto é pelo que o SENHOR me tem feito, quando eu saí do Egito (Êxodo 13.8).


Nos tempos bíblicos, os israelitas deveriam comer pães asmos por seis dias e, no sétimo dia, louvar o Nome do Senhor Deus por tê-los tirado do Egito, da casa da servidão, com mão forte (Deuteronômio 5.15). O interessante é que lhes foi ordenado que contassem isso aos filhos deles. Eu penso que, atualmente, a maioria dos cristãos ainda não se apercebeu do que lhes foi feito, pois muitos deles não se referem à salvação de sua alma da verdadeira escravidão. Mesmo quando um familiar deles aceita Jesus como Salvador, eles nem se emocionam, talvez por não saberem o que, de fato, é o novo nascimento. Será que acham que se tornar membro da família de Deus é como torcer por um time de futebol? Temos de dar ao Senhor o devido louvor.


A chamada tradição religiosa cristã fez um mal muito grande. Uma de suas doutrinas ensina que, ao pecar, basta a pessoa dirigir-se ao líder religioso e confessar seu erro, para que, depois de algumas rezas, o pecado seja perdoado. Resultado: ninguém se converte nem deixa de andar no erro. Essa atitude – errada e irresponsável – está levando milhões a se distanciarem de Deus, e, ao morrerem, irão direto para o fogo eterno, de onde jamais sairão. Em uma demonstração do delírio vão em que vivem, até criaram um lugar onde as culpas pelos pecados seriam “purgadas”. Como foram enganados pelo diabo!


Ora, só quem passou pela porta estreita e pelo caminho apertado sabe o que é, realmente, ser liberto dos poderes infernais. A dura servidão dos israelitas é um paralelo tênue do que é a verdadeira escravidão. O diabo está matando, roubando e destruindo muita gente que, se não se converter, passará a eternidade no suplício eterno (João 10.10; Apocalipse 14.11; 20.10,15).


O Senhor ordenou aos israelitas que transmitissem esse ensinamento aos seus filhos e fossem gratos a Deus. Muito mais nós deveríamos fazer hoje, pois o Altíssimo fez uma tremenda obra para nos salvar do sofrimento eterno. Os judeus foram tirados com mão forte. No entanto, a fim de nos libertar, Ele enviou Seu Filho, para sofrer na cruz nossas enfermidades e nossos pecados. Por isso, o mínimo que devemos render ao Senhor é toda a nossa gratidão.


Para mim, quem não sabe reconhecer o valor da salvação ainda não a provou e permanece escravo do inimigo, oprimido pelos espíritos maus. Já o salvo está livre de qualquer ação dos poderes infernais. Quem nasceu de novo não vive em pecado nem é possuído por vício algum, mas desfruta da vida abundante.


O salvo, ao falecer, entrará na glória e de lá não sairá mais. Agora, responda: você e seus familiares estão salvos? Você se interessa por eles? Tem dado testemunho do que o Senhor lhe fez ou se envergonha de contar o fato mais glorioso da sua vida?


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


Todos os direitos reservados ao site: www.ongrace.com

Fonte: www.ongrace.com

quinta-feira, 11 de junho de 2009

CUIDADO PARA NÃO NEGAR A FÉ


Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua família, negou a fé e é pior do que o infiel (1 Timóteo 5.8).


Incrível! O cristão tornar-se pior do que o infiel? Isso tem ocorrido em todos os tempos. A Palavra declara que deixar de cuidar das pessoas do seu relacionamento e, principalmente, dos membros da própria família é tão grave, que o negligente é tido como pior do que o infiel, pois, na linguagem bíblica, ele negou a fé.


Jamais pensamos que algum cristão poderia ser considerado pior que o infiel, mas é o Senhor quem assim o diz. O infiel comete o maior absurdo ao rejeitar a fé. Com isso, ele deixa de se unir ao Criador e, quer creia ou não, passará toda a eternidade em sofrimento. Isso acontece a quem liga a fé à religião, a qual o Senhor deplora.


Dá pena ver tantas pessoas boas rejeitarem o plano da salvação. Se elas soubessem que, entregando a vida ao Senhor, iriam tornar-se mais úteis à sociedade, creio que a maioria iria fazê-lo bem depressa. Mas essa praga chamada religião, inventada pelo homem, faz com que muitos pensem que o Evangelho também seja uma religião e, por isso, fecham os olhos e deixam escapar a única oportunidade de serem felizes. Coitado de quem rejeita Cristo, pois será lançado no lago que arderá com fogo e enxofre por toda a eternidade (1 João 2.22, Apocalipse 21.8).


Cuidado para você não ser considerado pior que o infiel! Cuide das pessoas do seu relacionamento e, também, dos da sua casa. O mais triste é que muitos daqueles que frequentam nossas igrejas e até alguns do ministério estão nessa qualificação. Eles sabem que os infiéis não herdarão o Reino, mas não sabem que são considerados assim.


Examine-se e veja se você tem cuidado dos seus e dos da sua casa. O que tem feito pela salvação deles? Se não tem feito nada, a não ser tentar, de vez em quando, fazer um convite para que visitem a igreja ou orar por eles, talvez, você esteja caminhando para a perdição. O Senhor não aceita desculpas de estar muito ocupado para se interessar pela salvação dos perdidos. Quem foi iluminado recebeu a obrigação de cuidar dos seus.


A fé que nos salvou também fez com que a nossa família fosse colocada sob o mesmo manto da salvação. Compete a nós cuidar deles, evangelizando-os e encorajando-os a lutarem para não serem enganados pelo maligno. Ai daquele que nada faz pelos seus, pois, ao deixar a Palavra perder-se nessas vidas, ele também se perderá.


Se isso tem acontecido com você, busque o perdão do Senhor, peça nova oportunidade e, a partir de agora, cuide dos seus.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


www.ongrace.com

quarta-feira, 10 de junho de 2009

O SENHOR JULGA JUSTAMENTE


“O qual, quando o injuriavam, não injuriava e, quando padecia, não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente” (1 Pedro 2.23).


Deus é justo Juiz, pois Seus julgamentos são retos e fiéis à verdade. Podemos tê-los em todas as áreas, por isso, não devemos deixar que os sentimentos influenciem nossas decisões. Melhor é sempre acatarmos, com prazer, as resoluções do Senhor. Apesar de sermos agentes do agir do Altíssimo, é preciso lembrar-nos de que Ele não torce o juízo.

O melhor juiz desta terra nem de longe se parece com Deus, o qual julga sem nenhum favoritismo, mas, sim, pela reta justiça. Ao entregar seu caso ao Senhor, se você tem certeza de que é inocente, espere, pois a boa sentença virá. No entanto, caso tenha parte no erro e não seja o dono da verdade, procure o perdão, componha-se com a pessoa contra quem você errou, pois ao emitir Seu parecer, o Senhor não prevarica.

Jesus Se identificou como a Verdade (João 14.6), por isso, Ele jamais torcerá o direito nem favorecerá os Seus. Os julgamentos realizados pelo nosso Deus são feitos de acordo com a verdade. Ele é fiel e jamais deixará de sê-lo. Quem é dEle e não tem razão em um pleito deve clamar por misericórdia e acertar-se com o adversário. Não se esqueça de que o mau caminho conduz ao destino errado. Mas, por outro lado, se, em determinada situação, a pessoa está com a razão, não deve ter o menor receio de pedir o auxílio dAquele que julga não pela aparência, mas, sim, pelo reto juízo.


Em qualquer situação, é possível obter o julgamento divino. Deus é soberano e não conhece impedimentos. Quando Ele julga não há nenhum questionamento. Até o inimigo, o qual é mentiroso e só faz o que não presta, dobra-se diante das decisões tomadas pelo Todo-Poderoso, pois elas são a expressão exata da verdade real.


Não é bom ir a Deus pedindo julgamentos, com base nos próprios sentimentos ou nos conselhos de outros. O nosso Pai não Se deixa levar pelas aparências, mas julga com equidade. Após tomar conhecimento do que o Senhor decidiu, acate com respeito e segurança. As resoluções divinas sempre prevalecerão.


Que o seu procedimento seja exemplar e as suas mãos sempre estejam limpas e preparadas para toda boa obra! Com a certeza de que você está andando na presença divina e de que está em Cristo, achegue-se a Ele em oração e peça-Lhe que julgue a sua causa. Seja o ataque infernal qual for, ele não resistirá a quem tem o Senhor como Juiz. Deus nunca falha!


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares


www.ongrace.com

terça-feira, 9 de junho de 2009

COLOCANDO O PODER DE DEUS EM AÇÃO


“Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus” (Tiago 1.19,20).


Que todos saibam: a mão de Deus só é movida pela fé. Uma pessoa pode estar desejosa ou necessitada de ver o poder do Altíssimo operando e, por essa razão, concentra-se, ora e determina, ordenando que a obra seja feita. Mas, se não tiver sido movida pelo próprio Senhor, nada acontecerá.


Não importa quem ensine o contrário, pois não passa de um embusteiro. Em todas as épocas, o homem tem sido enganado por “líderes” religiosos, os quais podem ser considerados falsos profetas que sempre erram em seus ensinamentos. Entenda que esse tipo de pessoa não faz o que a Palavra do Senhor ordena e fala de si mesmo ou de alguma outra fonte. Qualquer doutrina fora das Escrituras é lixo e, como tal, deve ser descartada. Talvez, ela pareça bonita, lógica, ou tenha feito momentaneamente um bem para algumas pessoas. No entanto, Isaías admoestou que somente a Lei e o Testemunho têm validade (Isaías 8.19,20), caso contrário, não há luz. Ora, se não existe luz, então, as trevas imperam, e sabemos que elas não são do Senhor, mas, sim, do diabo.


Erra a pessoa que não é pronta para ouvir, tardia para falar e tardia para se irar. Não adianta a altura da voz que ela usa na oração nem quantas vezes repreende o inimigo. Há aquelas que torcem a fisionomia para impressionar o maligno, enquanto falam algumas palavras que chamam de oração, mas isso não adianta. Se os demônios tivessem medo de careta, viveriam batendo queixo, com os olhos arregalados e chorando pelos cantos, pois bastaria que olhassem uns para os outros para ver todo tipo de cara feia.


Muitos indivíduos, por darem ouvidos aos falsos profetas, são levados a agirem sem respaldo bíblico, e tais atitudes não produzem mudança alguma, porque o que é originado no homem não tem poder no mundo espiritual. Aquilo que precisamos de Deus nos é concedido por meio da revelação da Palavra dEle.


O que opera a justiça de Deus é a determinação feita com fé. Quando o cristão aprende seus direitos e repreende o diabo, esse tem de sair. Ao assumir seu lugar em Cristo para exigir a saída do mal, o servo do Senhor coloca-Se na mesma posição que Jesus Se colocava quando falava em Nome de Seu Pai.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares



Fonte: www.ongrace.com

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Missionário RR Soares: NÃO SEJA RÉU


“Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão será réu de juízo, e qualquer que chamar a seu irmão de raca será réu do Sinédrio; e qualquer que lhe chamar de louco será réu do fogo do inferno” (Mateus 5.22).


Precisamos fazer uma opção: amar ou não o próximo. Quem o ama jamais o condena, mas busca todos os meios de tirá-lo do erro. Já quem não o ama, por qualquer motivo, torna-se violento quando o outro o magoa. As condenações que o Senhor fez são verdadeiras e serão aplicadas a quem não as atender. Por isso, não seja réu do Juízo, do Sinédrio – à época, o mais alto tribunal religioso do povo judeu – nem do fogo perpétuo. Antes, cumpra os mandamentos e seja súdito do Reino eterno do Senhor.


É ordenança divina que nos amemos uns aos outros (João 13.34). Os que nutrem esse sentimento verdadeiro oram ao Senhor e buscam uma ocasião para abrir os olhos do próximo, por exemplo, quando esse se encontra no erro. Aquele que ama repreende, mas quem ama apenas “da boca para fora”, ao ver seu irmão no pecado, tem prazer em delatar seus pecados a todos. Já a pessoa que não o ama se encoleriza e diz-lhe desaforos, podendo proferir palavras de juízo que darão às forças das trevas poder para atacar e destruir quem lhe foi inconveniente. Então, quem se ira torna-se réu do Juízo.


Na verdade, o indivíduo que ama só quer o bem do próximo e, por conta disso, prefere sofrer uma calúnia a processar o caluniador. Mesmo tendo sido difamado, injuriado, ele intercede ao Pai e proíbe o diabo de continuar usando tal pessoa. Então, um dia, quem o magoou cai em si e o procura, pedindo perdão. Se você tivesse clamado a justiça divina exigindo reparação, poderia ser tarde, e esse dia, talvez, nunca chegasse. Além disso, o irmão errado teria ido para a destruição eterna. Que problema sério, não é verdade?


Conhecemos quem não pratica o amor pela violência com que responde às agressões e, até mesmo, às insinuações. Basta que se magoe com alguém, ou mesmo se chateie, para revelar os segredos do outro, buscando, assim, uma forma de descontar nele seu aborrecimento.


Não pense que o Senhor Se excedeu em Suas admoestações. Elas são verdadeiras e irão julgar-nos no último dia. Portanto, quem não prestar atenção ao que a Palavra de Deus declara – e essas três advertências foram feitas diretamente por Jesus – terá sérios problemas agora e por toda a eternidade, pois será réu do Juízo, do Sinédrio e do fogo do inferno. Não queira estar nessa posição, pois o julgamento será sem misericórdia. Se tiver de sofrer algum prejuízo, sofra, mas, nem de longe, queira executar justiça própria. É melhor fazer o que lhe foi mandado e ser súdito do Reino do amado Filho de Deus.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares

domingo, 7 de junho de 2009

Mensagem de RR Soares: DEUS SUSTENTA E LEVANTA


“O SENHOR sustenta a todos os que caem e levanta a todos os abatidos” (Salmo 145.14).

Que declaração! Quem cai no erro não é abandonado pelo Senhor, pois o amor dEle é maior do que a tristeza de ver um filho Seu desviar-se do Caminho. Os abatidos não são desamparados nem ficam prostrados para sempre, mas são erguidos e sustentados pelo Todo-Poderoso.

Temos de passar a crer como a Palavra nos ensina: Deus, verdadeiramente, é Pai amoroso e não tem prazer na perdição dos Seus. Nesta passagem bíblica, o Altíssimo mostra que não desiste dos que, um dia, decidiram crer nEle, mas caíram. Isso é muito importante, pois, caso alguém se desvie, deve lembrar-se do que o Senhor tem dito, em vez de deixar o diabo fazê-lo desistir da fé. Qualquer pessoa que cai precisa acreditar que, de modo algum, será abandonada, mas, sim, amada pelo Pai. Isso significa que o bom Deus jamais desistirá de quem é dEle.

O amor divino supera a tristeza que nosso Pai sente pelos que O decepcionam. Sem dúvida, Ele espera que voltem e, por isso, sustenta-os, pois sabe o que acontecerá com quem abandona Seu Caminho. Estando nas garras das trevas, a pessoa, enquanto viver, passará por difíceis momentos e, quando morrer, será levada à perdição eterna, o que Deus não quer que aconteça com ninguém (1 Timóteo 2.4).

Se o Senhor agisse como o homem, Ele renegaria quem O abandonou. Mas não é dessa maneira que o coração de Deus age. Ele tudo fará para que Seus filhos, os quais se perderam, voltem à Sua presença. O Onipotente sustenta todos os caídos, o que significa que lhes dá inspiração e proteção, abre portas, guia e Se esforça para que acordem do seu pesadelo e voltem correndo para a comunhão, a qual só lhes fará bem. Alguns, porém, deixam-se levar pelo príncipe do erro e jogam fora todas as oportunidades de retornar ao Caminho. Esteja certo de que o Senhor fará o que for necessário para levantar os desanimados, os quais só continuarão prostrados se não aceitarem a ajuda dos Céus.

O Todo-Poderoso não quer o nosso prejuízo, mas, sim, o nosso lucro eterno. Então, não importa o que alguma doutrina ensine a respeito disso. Tudo o que for diferente do que o nosso Deus orienta deve ser descartado. Por isso, o mais certo é curvar-se perante a Verdade. Devemos tão-somente crer no que a Palavra ensina, pois Ela é a única Certeza com a qual podemos contar. Como Pai verdadeiro e amoroso, o Altíssimo não tem nenhum prazer na perdição de ninguém (Ezequiel 33.11). Neste momento, o Senhor dirige-Se a você para colocá-lo de pé e em vitória. Não perca a sua oportunidade!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

AS VANTAGENS DE SER SINCERO


Nota o homem sincero e considera o que é reto, porque o futuro desse homem será de paz(Salmo 37.37).


As pessoas que obtêm sucesso na vida espiritual nos servem de mestres, visto que praticam o que é reto, algo que gera um bem muito grande. Quem obedece ao Senhor é um indivíduo de paz e, portanto, bem-sucedido.


O Pai celeste nos ensina a observar os que são vitoriosos, pois eles têm muitas coisas a nos ensinar.


Percebemos que, para alcançar tal posição, os vencedores trilharam o caminho certo, o da Verdade, quebrando barreiras e conquistando outros espaços. Assim, andar em suas trilhas, certamente, irá levar-nos ao sucesso, pois aquele que aprende com quem anda com Jesus, além de alcançar paz, torna-se mestre, mostrando a outros, por meio das Escrituras, como devem proceder.


Analisar o que a Escritura diz ser o correto traz uma revelação muito grande a quem o faz. Ao agirmos assim, nossos olhos do coração se iluminam e, então, sabemos como realizar o que nos é dado como procedimento. Por outro lado, sem Jesus, que é a Palavra de Deus, não faremos coisa alguma (João 15.5).


Ser de paz significa ser alguém que vence todas as batalhas. O inimigo tenta, esforça-se e investe contra o servo de Deus, mas esse não se afoba nem se entrega. Calma e firmemente, quem é de paz controla todas as situações e faz valer seus direitos. Além disso, sempre tem as portas abertas, é bem-quisto em todos os lugares, e o mais importante: é ajudado pelos Céus em suas decisões.


O plano do Senhor para o homem é o melhor que ele poderia receber do Altíssimo. Sendo Pai e perfeito em todas as Suas operações, o que Ele programou para cada um de nós é simplesmente fenomenal, e a maior insensatez que alguém pode praticar é recusar Suas bênçãos. Quem tem juízo aceita os preceitos do Senhor, de pronto, e investe todas as forças para realizar a missão que lhe foi confiada.


Aquele que quiser, de fato, ser bem-sucedido deverá fugir dos apetites da carne, viver dentro dos limites das Escrituras e nunca se afastar deles. Então, não deixe que os pecadores o corrompam. Além disso, as aparentes vitórias que esses obtêm não devem ser sequer analisadas. Lembre-se: obediência ao mandamento bíblico é sinal de sucesso.


Em Cristo, com amor,


R. R. Soares