terça-feira, 31 de março de 2009

Palavra do Missionário RR Soares: PENSE NAS COISAS DO ALTO


Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra (Colossenses 3.2).

Quem vive pensando em coisas materiais nunca será uma pessoa espiritual. O amor ao mundo e àquilo que existem nele não deve habitar no coração dos cristãos (1 João 2.15), pois lhes rouba a oportunidade de se prepararem para os combates que, certamente, virão. Por isso, a nossa mente precisa ser treinada a meditar naquilo que é concernente a Deus, pois quem o faz descobre segredos que irão torná-lo vitorioso.

Se deixar sua mente se inchar com as coisas deste mundo, você impedirá seu espírito de crescer na graça e no conhecimento de Cristo Jesus. Quem agir dessa forma nunca deixará de ser carnal. Já aquele que se dedica a ter em seu pensamento os assuntos divinos torna-se alguém poderoso na Palavra e em ações.

Amar o mundo e o que nele existe nos rouba a capacidade de enfrentarmos as tentações e vencê-las, pois, quando o amor ao mundo e às coisas mundanas impera em nossa mente, ele nos mantém presos à carne e às suas paixões.

Podemos desejar os bens que existem na terra, mas isso não deve ser o centro da nossa atenção. No entanto, se vivemos pensando nas coisas do Alto e ainda sentimos necessidade de possuir algum bem, basta-nos tão-somente orar, pois, ao pedir em Nome de Jesus, o Pai concede o que for bom para nós. Por outro lado, aquele que se dedicar a pensar nas coisas do mundo, desejá-las e lutar por elas descobrirá que, sem Cristo, é difícil obtê-las.

O segredo é treinar a mente a pensar naquilo que vem do Alto. Com isso, nós nos fortaleceremos e teremos habilidades que nos farão possuir o melhor desta vida. Mas, se vivermos deslumbrados com as coisas dessa terra, jamais as teremos em abundância.

Os desejos materiais roubarão de nós as oportunidades de extrairmos da Palavra o que nos será útil para enfrentarmos as lutas e vencê-las. Por isso, equivocam-se os cristãos que ainda são presos pela vaidade, pela fascinação das riquezas e pelo desejo desenfreado de possuir os bens deste mundo. Podemos ter o melhor da vida e desfrutar dele, mas esse não deve ser o nosso alvo, mas, sim, conhecer o Senhor, fazer Sua vontade e viver conforme Ele quer que vivamos.

Para quem agrada a Deus, até os desejos do seu coração serão supridos (Salmo 37.4). Então, ao dedicar tempo para pensar nas coisas do Alto, o nosso coração encontrará caminhos que, até então, eram ocultos. São esses caminhos que nos fazem vencer as batalhas. Trilhando-os, conseguiremos realizar as mesmas obras do Senhor Jesus.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

R.R. Soares: PROVE E VEJA QUE O SENHOR É FIEL


Saberás, pois, que o SENHOR, teu Deus, é Deus, o Deus fiel, que guarda o concerto e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos (Deuteronômio 7.9).

Já provou isso? O Senhor já permitiu que, inúmeras vezes, você fosse provado, e você nem prestou atenção à Sua Palavra e se deixou levar pelo inimigo. Deus deseja que todos aqueles que Lhe servem o façam de coração – e não por medo –, pois Ele quer que os Seus provem a Sua fidelidade. Então, temos de ser operadores do Seu poder, e não um bando de derrotados, que só vivem murmurando contra tudo. Quem é de Deus não se importa com as provações e, até para conseguir um pouco de água fria para o servo do Senhor, arrisca a vida. Na verdade, quem segue a orientação divina nunca se arrisca, mas se deixa usar.

A vontade do Pai é que provemos a Sua fidelidade. Ao começarmos a andar com Ele, crendo em Sua Palavra, sendo ousados e aceitando os desafios como oportunidades para mostrar que, de fato, somos dEle, o Senhor é fiel a todas as Suas promessas.
Nada nos acontece sem que o Altíssimo não saiba, principalmente, o que o inimigo está preparando para nós. Por isso, se estivermos em comunhão com Ele, poderemos ouvir Suas direções e sair vencedores em todas as provas. Aquelas que o Todo-Poderoso permite nos atingir são para que provemos que, realmente, cremos em Sua fidelidade, pois, ainda que estejamos mortos, viveremos (João 11.25).

Nos dias de tranquilidade, é fácil dizer que cremos em Deus, mas, quando as provações chegam e parece que Ele não Se importa conosco, provamos que, verdadeiramente, confiamos nEle. Então, Ele prova ser o que é.

Não corra de nenhum desafio. Tudo o que nos acontece são possibilidades que o Pai nos dá para mostrarmos depositamos a nossa confiança em Sua Palavra e cremos nEle acima de tudo (Marcos 5.36).

Quem cresce na fé aprende que não deve agir como os imaturos, espiritualmente falando, pois esses vivem suplicando por bênçãos. Na verdade, para essas pessoas, orar é chorar diante de Deus e relatar todos os sofrimentos pelos quais têm passado.
No entanto, os maduros na fé aprendem a operar suas bênçãos, agindo como verdadeiros filhos do Altíssimo (Filipenses 2.12).

Viva em comunhão com o Senhor. Não fuja de nenhuma luta e faça de todo problema um momento de crescer e tornar-se vitorioso. Qualquer missão que lhe foi confiada deve ser encarada como uma oportunidade de provar seu amor ao Pai. Ao cumprir a ordem, você terá crescido na fé.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

domingo, 29 de março de 2009

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: O SEGREDO DA VITÓRIA


Se me amardes, guardareis os meus mandamentos (João 14.15).

Quem aprende a importância de guardar os mandamentos divinos torna-se bem-sucedido, e essa é a única maneira de provar que amamos a Deus. O religioso, por viver seguindo as tradições dos homens, passa a vida fazendo rezas e declarando que ama o Senhor, na esperança de ser atendido, mas nada consegue, pelo simples fato de não obedecer ao que lhe é mandado. Se seguisse os mandamentos, o que é simples de se fazer, ele amaria verdadeiramente o Senhor e, desse modo, seria um vencedor, pois amar a Deus é o segredo de obter respostas a todas as orações.

Nessa declaração, Jesus resumiu o que é necessário para amá-lO. Quem não guarda Seus mandamentos não O ama. Há quem faça penitências, sacrifícios ou se autoflagele na esperança de que isso agrade ao Pai e, então, Ele lhes conceda aquilo de que precisam, mas isso é simplesmente inútil. Também de nada adianta dedicar a vida a alguma religião ou a fazer caridades. A sociedade até pode aceitar essas coisas como prova de amor a Deus, mas, na verdade, isso é tentar fazer “um furo na água”. Até mesmo aqueles que deram sua vida pela causa religiosa se enganaram.

Por falar nesses “santos”, o meu coração fica triste ao ver pessoas fazendo pedidos a eles. Ora, todos aqueles que aceitam Jesus como Salvador e Senhor são declarados santos por Cristo, mas Ele proíbe que façamos qualquer pedido a quem quer que seja, até mesmo aos anjos. Temos de orar ao nosso Pai que está nos céus, em Nome de Jesus. Ninguém tem a prerrogativa de se tornar mediador entre Deus e os homens, pois esse lugar pertence a Jesus (1 Timóteo 2.5). A verdade é que muitos desses “santos” estarão em situação difícil no Dia do Juízo!

A nossa missão principal neste mundo é guardar os mandamentos – o que significa amar o Senhor. Esses se dividem em dois grupos: os claramente expostos na Bíblia e os que recebemos quando lemos a Palavra ou escutamos a pregação do Evangelho. Aquilo que o Pai fala ao nosso coração, pela Palavra, constitui-se em mandamentos. Se, ao cumpri-los, damos prova de amarmos o Senhor, quando não os observamos, provamos o contrário. Sendo assim, como esperar que Ele atenda aos pedidos que Lhe fazemos ou nos venha proteger dos perigos? Com a medida que medimos também seremos medidos (Lucas 6.38).

Se posso dar-lhe um conselho, que seja este: guarde todos os mandamentos, os quais não são pesados nem difíceis de serem observados. Esse é o segredo da vitória!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Fonte: www.ongrace.com

Mensagem do Missionário R.R. Soares: FAÇA O QUE LHE FOI DETERMINADO


Porque cada qual levará a sua própria carga (Gálatas 6.5).

Foi decidido no Céu que cada um de nós deve levar a sua carga. Então, é necessário que ensinemos as pessoas a viverem pela fé, como faz o justo (Habacuque 2.4, Romanos 1.17, Gálatas 3.11). Quem não aprender a fazer a obra de Deus não obterá sucesso. O Senhor não cancelou a lei da intercessão – ela é real e funciona (Tiago 5.16) –, porém, quando alguém aprende a fazer por si o que lhe compete, ele, certamente, realiza o melhor. No âmbito espiritual, ninguém pode substituir o outro no ato de aceitar Cristo como Salvador nem no de crer no Senhor para que milagres ocorram. Para vencermos, basta seguirmos o que a Palavra de Deus orienta e fazermos o que nos foi destinado.

O Criador planejou que levássemos nosso fardo, então, podemos ter certeza de que fomos feitos com essa capacidade. Mas de que modo isso pode ser feito? Com a fé que recebemos ao dar ouvidos à Palavra de Deus (Romanos 10.17)! Isso não mudará, ainda que alguém peça a carga de outrem para carregar.

O melhor que pode acontecer a uma pessoa é aprender a viver da fé. Esse é o único meio de vencer as lutas que surgem, muitas vezes, para destruir. Se alguém é ensinado a fazer a sua parte e o faz, o Senhor cumpre a parte dEle. De uma coisa podemos estar certos: todo aquele que assumir seu lugar em Cristo tornar-se-á vitorioso (Romanos 8.37).

Por outro lado, mesmo sendo muita religiosa, se a pessoa não aprender a fazer o que lhe diz respeito, a obra de Deus não será concretizada na vida dela. O sucesso somente é possível para quem obedece ao que está prescrito na Palavra.

Talvez alguém pergunte se a lei da intercessão não funciona. Sim, ela funciona, mas é limitada. Por exemplo: quando éramos bebês, alguém cuidava de nós, mas, ao crescermos, passamos a fazer as coisas por nós mesmos. Por comparação, a lei da intercessão não suprime a responsabilidade pessoal. Aquele que não trabalha não pode comer do trabalho alheio (Salmo 128.2).

A verdade é que quem aprende a fazer seu dever cumpre-o melhor do que qualquer outro, por mais bem interessado que esse esteja. A intercessão funciona para ajudar a pessoa a abrir os olhos e ser salva, contudo, somente ela pode aceitar Cristo, pois o ato é personalíssimo. A intercessão funciona também na cura e em relação a outras bênçãos, mas será bem mais proveitoso que o indivíduo creia por si mesmo.

O melhor é cumprirmos o que nos foi dado como missão, assim como Jesus cumpriu a dEle. Para isso, temos a Palavra de Deus, a qual é o Manual que nos orienta a nos conduzirmos e fazermos o que nos compete de acordo com a vontade divina. Se assim agirmos, seremos bem-sucedidos.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Fonte: www.ongrace.com

Mensagem do Missionário R.R. Soares: O SEU ALVO


Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios 3.18,19).

No plano de Deus, todos têm as mesmas oportunidades. O desejo do Senhor é que compreendamos Seu amor, o qual O fez enviar Seu único Filho para nos resgatar do império das trevas (João 3.16; 1 Pedro 2.9). O alvo que devemos atingir é conhecer a largura, o comprimento, a altura e a profundidade desse amor celestial. Isso significa que ainda temos muito a conquistar. Que não sejamos vagarosos nem preguiçosos nessa missão!

Uma coisa é certa: o Senhor não tem preferidos (Atos 10.34). Em Seu coração, temos o mesmo lugar e mesmas oportunidades. O que nos falta é entender quem somos, o que nos pertence e o que Deus nos capacita a fazer (João 14.12). Jamais conseguiremos realizar as obras que Jesus fazia se não chegarmos ao plano espiritual que Ele vivia.

Paulo não estava orando fora da vontade de Deus, pois sabia que, se assim o fizesse, não teria seu pedido atendido. Ele clamava para que todos pudessem compreender perfeitamente o que moveu o Senhor a enviar Seu Filho. Como essa oração precisa ser feita hoje! A maioria das pessoas, simplesmente, não entende o que o Salvador veio fazer e o que, de fato, realizou. Por não compreender isso, elas se tornam religiosas e não praticantes da Palavra.

Para conseguir o esclarecimento do grande amor do Senhor, é necessário colocar isso como objetivo. Então, ao orar e ao meditar no que lhe saltou aos olhos durante a leitura bíblica ou lhe foi revelado ao longo da pregação da Palavra de Deus, fique atento e observe o que lhe está sendo ministrado. Isso alargará e aumentará seu conhecimento do amor divino.

O aprendizado que podemos receber do Pai é ilimitado. Quanto mais o obtemos, mais temos à nossa espera. Por isso, precisamos prosseguir no conhecimento de Deus (Colossenses 1.10) e explorar a largura, o cumprimento, a altura e a profundidade do amor dEle, algo que, provavelmente, mesmo sendo muito dedicados, jamais se esgotará. Mesmo fazendo tudo, como aconteceu com Josué, no final de nossa caminhada, ainda haverá muita terra por conquistar.

O segredo, contudo, é não ser vagaroso nem preguiçoso. Não devemos imitar os preguiçosos que tiram tempo para dormir, tosquenejar e cruzar os braços, sobrevindo-lhes a pobreza como um ladrão (Pv 6.10,11). É preciso ser prudente como as cinco virgens que guardaram o azeite e entraram para as bodas com o noivo (Mateus 25.1-13). Jesus virá e, quando isso acontecer, deve achar-nos acordados e vigilantes!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


www.ongrace.com

R.R. Soares Igreja Internacional da Graça: NÓS BUSCAMOS A DEUS


Os mansos verão isto e se agradarão; o vosso coração viverá, pois que buscais a Deus (Salmo 69.32).

O rei Davi escreveu esse salmo para relatar o próprio sofrimento. No entanto, quando o comparamos com o que sofreu Jesus Cristo, notamos uma grande similaridade entre as angústias pela quais ambos passaram. Depois, Davi afirmou que louvaria o Senhor com cânticos e iria engrandecê-lO com ações de graças. A ele foi revelado que isso era melhor do que qualquer sacrifício. Então, o salmista diz que os mansos – aqueles que são tranquilos e esperam no Senhor – veriam isso e se agradariam. Além disso, afirmou que, com esse agrado e a alegria que surgiria no coração de cada um deles, viveriam. Quem se agrada vivifica o coração, e isso prova que, de fato, a pessoa busca o Todo-Poderoso.

Davi, sendo ungido do Senhor, foi usado para escrever muitos salmos. Às vezes, ele falava de si e, em outras ocasiões, era usado como profeta. Na passagem bíblica citada, encontramos uma semelhança entre o que se passava com ele e o que o Senhor Jesus sofreu. Muitas vezes, os registros foram feitos figuradamente na Palavra de Deus, mas, com a ajuda do Espírito Santo, conseguimos discerni-los. O que nos é revelado ao coração é a voz de Deus falando conosco.

O salmista falou dos sofrimentos e, depois, revelou um segredo importante: ele louvaria o Altíssimo com cânticos e iria engrandecê-lO com ações de graças. Quem não usa esses dois meios de agradar ao Senhor perde tempo em ficar orando e suplicando por bênçãos. Jesus disse que o Pai anda procurando adoradores que O adorem em espírito e em verdade (João 4.23). Por isso, quando, inspirados pelo Santo Espírito, louvamos o Todo-Poderoso com cânticos ungidos e Lhe rendemos graças, nós Lhe agradamos mais do que se tivéssemos oferecido qualquer sacrifício.

Agir dessa forma vivifica o coração. O Senhor é a nossa Vida, e, enquanto não O tivermos operando em nós, ficaremos tristes, inoperantes, bem parecidos com os mortos.

Tê-lO em atividade nos dá satisfação e felicidade inexplicáveis, pois Ele mesmo vem visitar-nos e, consequentemente, como sinal de que isso acontece, o nosso interior se rejubila. Essa é a alegria que a Bíblia coloca como condição indispensável para servirmos a Deus de fato. É com ela que fazemos a oração da fé para destruir doenças, expulsar demônios e tomar posse do que nos pertence. A alegria que o Altíssimo nos concede é a nossa força (Neemias 8.10).

Tudo se transforma quando somos visitados pelo Pai. Até sentirmos essa felicidade, não podemos desistir, mas buscá-la em nossas orações, pois, possuindo-a, podemos pedir o que quisermos, já que isso demonstra que buscamos a Deus.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Show da Fé Missionário R.R. Soares: SOMOS LIVRES PELA MISERICÓRDIA E PELA VERDADE


Ele dos céus enviará seu auxílio e me salvará do desprezo daquele que procurava devorar-me (Selá). Deus enviará a sua misericórdia e a sua verdade (Salmo 57.3).

O Senhor Jesus é o Auxílio referido pelo salmista. Ele veio do Alto para nos salvar do desprezo do inimigo, que tinha como único propósito nos devorar. Cristo é a misericórdia e a verdade de Deus.

Com a queda de Adão, o homem tornou-se refém das forças das trevas. O diabo nos tinha em suas mãos, e seu propósito era carregar-nos com ele para o suplício eterno, além de nos oprimir de todos os modos possíveis durante nossa estada aqui na Terra. Mas, para os que aceitaram Jesus como Senhor e Salvador, isso já acabou.

Muitos servos de Deus vivem oprimidos pelo medo de que alguma coisa ruim possa acontecer-lhes. Sem saber, dão ao inimigo as condições de cumprir neles seus maus desejos. Porém, quem conhece sua posição em Cristo, ao sentir a aproximação do adversário e de suas forças infernais, usa o Nome de Jesus e, firmemente, repreende toda a opressão. Ao fazer isso, ele vê que os ataques cessam imediatamente.

O inimigo sabia que os seus dias estavam contados quando o nosso Auxílio veio. Quando Cristo morreu em nosso lugar, o príncipe deste mundo foi expulso. Hoje, as forças das trevas não têm mais a capacidade de nos fazer sofrer. Elas podem até tentar, mas, se as repreendermos, cessarão de nos atormentar. No entanto, o cristão que não conhece sua posição em Cristo ou acredita na mentira que o maligno lança sobre ele será atacado, sem dúvida, por uma série de males.

O nosso Socorro já veio do Alto, trazendo-nos o poder de Deus para nos libertar. Tudo o que Ele ensinou e fez foi para que não tivéssemos mais de nos sujeitar ao ataque de Satanás, que continua desejando afligir a nossa vida e nos tragar. O maligno, como um leão que ruge, anda ao nosso derredor, procurando destruir-nos (1 Pedro 5.8). Quem conhece sua posição em Cristo não se abala, mas continua lutando firme, sabendo que o mal jamais irá vencê-lo.

Se você tem vivido longe do plano de Deus, volte para os braços do bom Pastor. Não permita que Satanás o engane com suas mentiras, mas creia que seu Auxílio já veio e fez tudo aquilo que foi necessário para que você ficasse livre das forças das trevas. Reivindique a sua libertação e seja livre agora mesmo. Se não quiser ser mais oprimido pelo poder infernal, viva na misericórdia e na verdade.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Lições do Missionário R.R. Soares: A IMPORTÂNCIA DE SER MANSO


Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra (Mateus 5.5).

No Reino de Deus, não é aceitável alguém ser violento. As pessoas que ainda não aceitaram o Senhor como seu Salvador precisam ver que, realmente, nosso caráter e nossa personalidade foram mudados. Cristo é quem deve viver em nós, e não o velho homem, o qual resolvia tudo na base do grito e do tapa.

Os mansos – aqueles que se rendem ao Espírito de Deus e Lhe servem – terão uma recompensa tamanha: a terra das promessas do Senhor está à espera de quem se dobra ao Espírito de Cristo. Jesus Se declarou manso e humilde de coração (Mateus 11.29), e nós devemos ser assim também. Os de fora irão apreciar-nos mais ao perceberem que temos estado com Jesus. Isso não significa que devemos ser bobos, mas, sim, verdadeiros servos do Altíssimo.

Por várias razões, é preciso que tenhamos um espírito manso. Uma delas é que seremos bem recebidos pelos demais; a outra é que o violento faz mal à própria alma, por não ter paz nem viver tranquilo. Além disso, também somos cartas de Cristo, nas quais os perdidos lerão a Sua mensagem (2 Coríntios 3.2).

Um pai é conhecido pelo modo de viver dos filhos. Nós somos feitos à imagem e semelhança de Deus. Se algum de nós se torna violento ou continua a sê-lo mesmo após o novo nascimento, as pessoas de fora não terão um conceito bom do Senhor. Por outro lado, quem se relaciona conosco terá um grande testemunho ao nos ver santos, e não aproveitadores de situações. Por nosso caráter e nossa personalidade, elas saberão se temos estado ou não com Jesus.

Antes de sermos de Cristo e de Jesus viver em nós, agíamos como os que ainda não O conhecem. Eles gritam e brigam para fazer valer os seus direitos, enquanto nós conhecemos um poder capaz de nos dar o que nos pertence.

Apenas quem se render ao Senhor herdará a terra. Aquele que, na obra de Deus, usar mentira ou subterfúgios humanos ficará de fora. É preferível comer feijão com farinha a ter abundância obtida fora dos padrões divinos, pois a recompensa para quem faz a vontade do Senhor será muito grande.

O Evangelho é a terra das promessas divinas. Nele, há tudo de que precisamos, mas somente o herdará quem se dobrar ao Espírito de Cristo. Jesus foi e é em tudo o nosso Exemplo. Sendo Ele manso e humilde de coração, não podemos ter outro comportamento. Devemos ser enérgicos nos momentos em que for necessário, mas sempre com mansidão, sem deixarmos de ser servos de Deus.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Conselho do Missionário R.R. Soares: A NOSSA TERRA É INIGUALÁVEL


E falaram a toda a congregação dos filhos de Israel, dizendo: A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra muito boa (Números 14.7).

Que dia de grande oportunidade foi aquele, mas ela foi desperdiçada, pois os israelitas acreditaram mais na mentira dos derrotados do que na Palavra de Deus. Hoje, é triste ver tantas pessoas na casa do Senhor vivendo no engano e sendo orientadas a serem religiosas, e não praticantes da Palavra. Muitos vivem no pecado, aberto ou escondido. A “terra” que nos foi destinada – o Evangelho – tem de tudo o que é bom, e, desde o dia em que aceitamos Jesus Cristo, temos direito de habitar nela, não sendo preciso que esperemos para a possuirmos apenas depois da nossa morte.

Deus havia ordenado que fossem enviados 12 espias a fim de trazer a Boa Notícia para Seu povo, mas somente dois tiveram respeito à Sua Palavra e viram como Ele vê (2 Coríntios 5.7). Em nossos dias, isso está acontecendo dentro das congregações. Tudo é pregado dos púlpitos, menos a Notícia Verdadeira.

O triste foi que os filhos de Israel não fizeram como Abraão, Isaque e Jacó; eles deram ouvidos aos derrotados e creram na mentira que saiu de seus lábios, a qual foi orquestrada no inferno. É claro que não devemos ser ingênuos nem acreditar em tudo, mas, quando é o nosso Pai quem promete, nosso dever é crer.

Como podem ensinar tanto absurdo ao povo do Senhor, quando o mais fácil e produtivo – que é crer no que Ele afirma – está sendo deixado de lado? Como resultado, vemos na Igreja do Senhor escândalo, miséria e todo tipo de pecado (Jeremias 2.13). No entanto, Ele disse que Sua casa seria chamada Casa de Oração, mas, pelo mundo afora, ela tem sido chamada de tudo, menos desse nome (Isaías 56.7).

Todas as nossas reuniões deveriam ser vivas e ter o poder de Deus operando continuamente, e não apresentar técnicas de vendas, conhecimentos estritamente humanos ou “regras de marketing”, as quais jamais devem estar presentes em nossas decisões. Deus sente saudade do tempo em que Seu povo queria ouvir Sua voz.

Há quem esteja vivendo em pecado e tentando justificá-lo. Mas, o não erreis de 1 Coríntios 6.10 e o sede santos de 1 Pedro 1.16 ainda estão em vigor. Então, quem tem juízo vive desse modo.

A nossa “terra” é inigualável e eternamente mais poderosa do que qualquer terra filosófica ou religiosa. O apóstolo Paulo resumiu o significado do Evangelho na seguinte definição: o poder de Deus (Romanos 1.16). Não espere para ver esse poder divino depois da morte. Nesta terra, seu potencial no Senhor é enorme. Unido com Ele, você age como se fosse o próprio Deus em ação. Por isso, tenha os olhos abertos e veja o que Ele espera de você.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Palavra do Missionário R.R. Soares: SIGA AS ORIENTAÇÕES DO SENHOR


Porém ao povo Josué tinha dado ordem, dizendo: Não gritareis, nem fareis ouvir a vossa voz, nem sairá palavra alguma da vossa boca, até ao dia em que eu vos diga: Gritai! Então, gritareis (Josué 6.10).

Jamais devemos questionar um servo do Senhor quando ele está sendo usado por Deus. Jericó se achava invencível, mas Josué sabia ouvir a voz do Altíssimo. Prova disso é que o Senhor proibiu Seu povo de sequer dar uma palavra, pois esse deveria unicamente confiar nas orientações reveladas ao homem de Deus. Então, as ordens divinas foram cumpridas à risca, e, consequentemente, as muralhas caíram por terra. Josué, o comandante do povo do Senhor, usou uma estratégia que nenhum general do mundo usaria para tomar uma cidade sem que perdesse parte do seu efetivo. Já os filhos de Israel não perderam ninguém e, em poucas horas, tinham acabado com a fortaleza do inimigo. O mesmo acontece conosco: quem obedece às direções divinas vê o Senhor derrubando as muralhas.

Não deve ter sido fácil fazer aquela multidão de israelitas obedecer às ordens do Todo-Poderoso. Quando, no culto, consigo fazer com que os irmãos deem ouvidos ao que o Senhor fala, muitos milagres são operados. No entanto, questionar a direção que um servo fiel recebeu não é bom. As considerações do homem atrapalham o plano de Deus de ser executado (Isaías 55.8). Por isso, quando estamos agindo por fé, não devemos fazer nenhum comentário (2 Coríntios 5.7), mas tão-somente seguir as orientações do Céu, pois obediência traz vitória!

Convencer todos a se calarem deve ter sido a parte mais difícil, mas era necessário. Nós também sempre temos de fazer calar os argumentos da razão humana e apoiar-nos somente no que nos é dito pela Palavra de Deus. Naquele episódio especial, a obediência fez com que o poder de Deus sacudisse as largas muralhas daquela cidade e elas ruíssem.

Nenhum general deste mundo tomaria a atitude do comandante Josué, pois sua estratégia foi dada por orientação divina. Todo aquele que seguir as instruções celestes logrará sucesso. Se os israelitas tivessem dado ouvidos à orientação do homem, poderiam tomar a cidade de Jericó, mas com o custo de muitas vidas. Porém, como seguiram a ordenança do Senhor, não houve perda de nenhum deles.

Não importa quantas muralhas estejam barrando seu progresso nem a espessura delas. Ouça o que a Palavra lhe diz e siga em frente – não retirando nem acrescentando algo ao que o Senhor fala –, pois Jesus disse que as portas do inferno não prevalecerão contra a Sua Igreja (Mateus 16.18). Então, seja valente e ouse acreditar no que lhe é revelado, não comparando o conhecimento do homem ao do Senhor, pois o nosso Deus é superior em tudo.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Missionário R.R. Soares na rede: É HORA DE REGOZIJO PARA OS ELEITOS


Oh! Se de Sião tivera já vindo a redenção de Israel! Quando o SENHOR fizer voltar os cativos do seu povo, se regozijará Jacó e se alegrará Israel (Salmos 14.7).

Essa profecia falava de um tempo futuro em que os cativos do povo de Deus voltariam à Sua presença. A redenção viria do Céu, representado aqui por Sião, e seria de Israel, que teve uma experiência com o Todo-Poderoso. Jacó, o povo de Deus antes do encontro verdadeiro com Ele, iria regozijar-se, e Israel, o que teve uma experiência real com o Senhor, alegrar-se. Essa profecia já se cumpriu com a vinda de Jesus, e, hoje, os judeus podem regozijar-se – tomar posse da herança preparada para eles –, e Israel, o povo salvo, que passou pela porta estreita, pode alegrar-se, pois tudo lhe pertence (Mateus 7.13; João 10.9).

Davi foi usado como profeta neste Salmo. A ele foi revelado que o povo de Deus, cativo pelas forças espirituais do mal, haveria de ser liberto e voltaria, um dia, à presença divina. Isso ocorreu na morte e na ressurreição de Jesus Cristo. Se entendermos o que foi feito para nós, filhos do Altíssimo, poderemos ficar como aqueles que sonham (Salmos 126.1). Mas o melhor é que a nossa redenção é realidade. Os cativos do povo do Senhor podem voltar à presença dEle e tê-lO verdadeiramente como Deus, o que, em outras palavras, significa que eles podem contar com aSua operação milagrosa em todos os sentidos.

Sião era uma das colinas de Jerusalém, que, muitas vezes, foi tomada como símbolo dessa cidade. Foi de Sião, por exemplo, que Davi expulsou os jebuseus e construiu ali a cidade de Davi. Também nela Salomão edificou o templo. Então, desse lugar santo, que tipifica a Jerusalém celestial, viria o Redentor. E Ele já veio!

A redenção seria feita por causa de Israel, predestinado a ser propriedade particular de Deus. Nesse povo, estavam incluídos todos aqueles que aceitariam Jesus como Salvador. A predestinação foi feita como um todo, e não em relação a indivíduos, respeitando o livre-arbítrio de cada um – a escolha de aceitá-lO ou rejeitá-lO. Ao falar de Jacó e Israel, Davi referia-se à mesma pessoa. Jacó era o herdeiro da bênção, antes de ter um encontro com o Todo-Poderoso (Gênesis 28.13-15). Ele se passou a chamar Israel vários anos mais tarde, depois que lutou com Deus a noite inteira e prevaleceu (Gênesis 32.24-28). A noite para nós já acabou; agora, somos filhos da Luz (Efésios 5.8).

O nosso dia nasceu! Então, não há mais tristeza, luto ou humilhação, pois as forças infernais foram derrotadas pelo Senhor Jesus. Ele fez um desfile vitorioso, trazendo esses derrotados diante dos poderes celestiais (Colossenses 2.14,15). Hoje, basta crer, para que a glória de Deus possa ser vista.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

sexta-feira, 27 de março de 2009

Missionário R.R. Soares por e-mail: O VERDADEIRO ALIMENTO JÁ NOS FOI ENTREGUE


Deu mantimento aos que o temem; lembrar-se-á sempre do seu concerto (Salmo 111.5).

Quem teme o Senhor tem à sua disposição o alimento que fortalece o espírito, traz fé ao coração e o faz vitorioso. Esse alimento, o qual deu a Elias a força para caminhar 40 dias, permanece para sempre e já está ao nosso alcance. Aquele que de Deus se alimenta está preparado para qualquer batalha, pois o Senhor jamais Se esquece da Aliança feita no sangue de Jesus – e faz bem se lembrar do que Ele nos garante nesse Pacto eterno (Hebreus 4.14-16).

O nosso espírito – assim como o nosso corpo – necessita alimentar-se várias vezes ao dia, para manter-se forte. Entretanto, não temos de ficar pedindo ao Senhor que nos dê alimento para a nossa alma, pois isso já nos foi concedido e está à nossa disposição. O que temos de fazer é vigiar e orar para que as preocupações da vida, a fascinação das riquezas e a ambição de outras coisas não nos desviem do Pão verdadeiro (Mateus 13.22).

Quando o profeta Elias comeu do Pão do Céu, caminhou 40 dias sem precisar alimentar-se do pão material. Ora, aquele que faz jejum de mais de um dia, mesmo estando em repouso, sente-se fraco. Quem também caminha vários dias despende energia e, se não a repuser, terá sérios problemas. No entanto, o profeta, com o Pão de Deus, teve forças para caminhar o máximo de dias que uma pessoa conseguiu ficar em jejum. Pense na força extraordinária que o alimento celestial nos dá.

Jesus afirmou que é Ele quem dá a verdadeira comida. E o melhor é que ela já está à nossa disposição e, com ela, não sentiremos falta de nada. Perde muito aquele que tem coragem de passar vários dias sem utilizá-la, pois ela nos é extremamente benéfica aqui e nos fará, certamente, um bem ainda maior, por nos acompanhar por toda a eternidade.

Em Sua sabedoria, o Senhor preparou o Pão que nos fortalecerá para as batalhas do dia-a-dia, as quais são contra forças poderosíssimas: os principados, as potestades, os príncipes das trevas deste século e as hostes espirituais da maldade (Efésios 6.12,13). Quem não estiver fortalecido com esse Alimento, sem dúvida, perderá muitas batalhas. Foi esse Pão que Jesus usou em Sua luta contra as tentações do diabo.

Lemos, no início desta mensagem, que o Senhor jamais Se esquece da Aliança feita no sangue de Jesus. Ao recebermos Cristo como Salvador e Senhor de nossa vida, fazemos parte deste Concerto eterno, no qual temos obrigações e, também, direitos. Então, para conhecê-los, temos de nos alimentar desse Pão sem igual.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

E-mail do Missionário R.R. Soares: É PRECISO CORTAR OS LAÇOS


Assim que, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo, agora, já o não conhecemos desse modo (2 Coríntios 5.16).

Jesus deixou Sua glória, encarnou-Se na terra para cumprir Sua missão e, quando voltou para os Céus, assumiu Sua Divindade. Ele é Deus como o Pai, por isso, os laços humanos devem ser cortados. As tias e os primos de Jesus, embora fossem Seus familiares, não podiam ser considerados especiais. Nem a própria mãe de Jesus deve ser considerada a nossa mediadora. A sua intercessão, aqui na terra, era igual à de qualquer outra pessoa que cria em Deus.

O único elo – intermediário – entre nós e o Altíssimo é Jesus (Atos 4.12), que, para nos salvar, teve de Se despir das Suas prerrogativas divinas e nascer como qualquer um de nós. Por isso, pôde legalmente vir ao nosso mundo, não entrando por outra forma, como o fez o ladrão e salteador, o qual enganou Adão no jardim do Éden. Cristo entrou pela porta – o nascimento materno.

Depois de ter feito tudo o que era necessário para que o homem pudesse ser resgatado do império das trevas, Jesus voltou para os Céus e, então, assumiu Sua forma eterna.

Nesta passagem da segunda carta aos coríntios, Paulo declara que, agora, Jesus não deve ser mais conhecido segundo a carne, mas como uma das Pessoas da Divindade.

Deus Se compõe de três Pessoas distintas, mas é um único Deus. Jesus, o Filho, é Deus, mas o Pai é maior do que todos, como o próprio Senhor disse (João 14.28). O entendimento de que Ele é uma única Pessoa que atua ora como Pai, ora como Filho e ora como Espírito Santo não tem base bíblica. Após ser batizado, Jesus saiu das águas, o Pai falou dos Céus, e, sobre o Filho, desceu o Espírito Santo (Marcos 1.9-11). Se são a mesma pessoa, então, aquilo foi um teatro? Não! Ele estava ali, Ele falou do Céu e Ele veio sobre Si. Como pode? Ele é o trino Deus.

O entendimento imaturo faz supor que tanto a mãe de Jesus como Seus parentes e alguns que já morreram podem servir de intermediários ou intercessores, mas isso não é bíblico e, portanto, deve ser repudiado. A Bíblia declara que os mortos não podem ter contato com o nosso mundo nem ouvir os nossos pedidos (Deuteronômio 18; Lucas 16).

A obra divina é feita pelo próprio Senhor. O homem só participa dela quando os vivos que crêem no Pai oram pelos perdidos e sofredores, os quais também estão vivos. Agir fora da orientação do Todo-Poderoso é permitir que o diabo roube a bênção e a recompensa que terá quem faz a vontade do Pai.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Missionário R.R. Soares: NÃO SE DESONRE


Todo homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça (1 Coríntios 11.4).

O homem foi criado à imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1.26,27), por isso, ele não pode ter ninguém sobre si, a não ser o Senhor. A nossa cobertura é o próprio Deus. Isso não quer dizer que devemos ser rebeldes à direção que o Senhor colocou em Sua casa. Ao mesmo tempo em que obedecemos aos nossos superiores, não permitimos que atuem como nossos mestres. Servimos a Deus sem intermediários.

Deus nos fez como obras-primas de Sua criação, à Sua imagem e semelhança. Por isso, não podemos permitir que alguém nos domine e dite para nós o que devemos ser e fazer na vida. O Senhor é quem deve ter a primazia e soberania sobre nós, e só Jesus pode ser o nosso Mestre.

Ninguém nos pode dominar e dirigir em relação às situações da nossa vida material nem espiritual. Se o homem ora ou profetiza tendo a cabeça coberta, ele está ultrajando o Senhor que o fez cabeça sobre toda a Sua criação. Orando a Deus ou falando por Ele – profetizando –, é preciso fazê-lo com responsabilidade e obedecendo somente a Deus.

O homem estava debaixo do pecado e, por isso, o diabo o dirigia, mas, com a vinda, a morte e a ressurreição de Cristo, o ser humano pôde ser liberto. Hoje, aquele que entende o sacrifício de Jesus e O aceita como Senhor e Salvador tem de assumir a sua nova posição espiritual, inclinar-se apenas diante de Deus e fazer todas as coisas com responsabilidade, como representantes dEle.

A única cobertura que podemos permitir é o próprio Deus. Submeter-se ao Senhor é aceitar o que Ele fala em Sua Palavra e cumpri-lA. Não podemos permitir que alguém nos oprima. Quem não se importa com isso e permite que uma pessoa seja seu superior desonra a si mesmo. Isso não quer dizer que temos de nos rebelar em relação àqueles que por Deus foram colocados na direção da Sua obra, pois eles receberam dons ministeriais visando o nosso crescimento, mas sem ser senhores sobre nós. Só podemos servir a Deus.

Não deve haver ninguém que nos una ao Senhor a não ser o Salvador (1 Timóteo 2.5). Usar intermediários, além de não ser bom, é antibíblico.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagens de R.R. Soares: OS DICIONÁRIOS NÃO INFORMAM


Mas disse ao homem: Eis que o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência (Jó 28.28).

Essas são duas definições que os dicionários não trazem, pelo fato de seus autores não serem conhecedores da Palavra do Senhor. Deus colocou no interior do homem o conhecimento do que são a sabedoria e a inteligência, fato que ele não poderá negar. Sendo assim, todo aquele que escuta ao menos uma única pregação, ou lê uma declaração das Escrituras, sabe que ela é a Verdade Ninguém, declarando inocência, será escusado no Dia do Juízo.

O melhor “pai dos burros”, como é popularmente chamado o dicionário, não traz a verdadeira definição dessas duas palavras que são de suma importância, tampouco as religiões mais eruditas dão a explicação real para essa verdade: o temor do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência.

Quem escreve um dicionário é, normalmente, alguém culto e sempre auxiliado por uma equipe de pessoas com notório saber. No entanto, em se tratando da Verdade, se não viverem uma experiência real com a Palavra de Deus, não entenderão nada; antes, serão como aqueles que nunca tiveram contato com o mundo civilizado.

O Altíssimo implantou esse conhecimento no interior de cada pessoa. Quando ela escuta a Palavra de Deus, tal conhecimento vem à tona, e não é raro encontrar alguém dizer que parece já ter ouvido isso em algum lugar, pois as leis divinas estão impressas em nosso coração.

O Espírito de Deus dá testemunho da verdade a qualquer pessoa que entra em contato com Sua Palavra e, quando isso acontece, ela passa a viver com sabedoria e inteligência. Por isso, basta escutar a pregação do Evangelho ou ler o Livro Santo para ter a confirmação dentro de si de que aquilo é a Verdade.

O Espírito do Senhor abre o nosso entendimento, e não podemos negar que não tivemos essa confirmação interior. Então, engana-se quem acha que pode alegar inocência no dia do Juízo Final, pois, mesmo que o faça, sua consciência denunciará que, por algum motivo, ele deixou de atender à voz divina. Não haverá desculpa que ficará de pé diante do Justo Juiz.

Aquele que deseja ser vitorioso por toda a eternidade deve ser sábio – temer a Deus, respeitá-lO e ser inteligente – e apartar-se do mal. Além da facilidade de obter sabedoria e inteligência reais, faz um grande bem tê-las e desfrutar delas.


Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagens do Missionário: FRUTOS QUE DURARÃO PARA SEMPRE


Disse mais: Estas seis medidas de cevada me deu, porque me disse: Não vás vazia à tua sogra (Rute 3.17).

Além das outras obras que o Senhor faz por nós, Ele não quer que voltemos de mãos vazias aos que dependem de nós. Boaz – um tipo de Cristo, o nosso Resgatador – fez por Noemi, por intermédio de Rute, o que estava determinado. Há muita coisa escrita a nosso respeito, a qual não se cumprirá se não formos ao campo de Cristo “catar as espigas que caíram ao chão ou não foram colhidas”. Não basta assistir aos cultos e alegrar-se com as mensagens ouvidas; temos de ir à Palavra e buscar o que, de graça, é concedido a nós.
Então, seja sábio e desfrute do melhor de Deus, pois seu encontro com o Senhor produzirá frutos nas próximas gerações, os quais irão segui-lo por toda a eternidade.

Deus nunca aprovou o egoísmo. Ao contrário, Ele nos abençoa para que possamos abençoar os outros. Lembre-se de que aquele que não cuida dos seus é pior do que o infiel (1 Timóteo 5.8). Se o Pai abençoasse somente a nossa vida, estaria instigando-nos a pensar somente em nós mesmos. Mas, como Boaz fez com Rute, e essa, com sua sogra, o Senhor nos concede Suas bênçãos para que também abençoemos os nossos entes queridos, pois é norma bíblica o Senhor dar salvação a nós mesmos e à nossa casa (Atos 16.31).

Como um tipo de Cristo, Boaz fez bem a Noemi, por intermédio de Rute. E o mesmo o Senhor quer fazer para os que pertencem à nossa família e ao nosso povo. Todo alimento que encontramos na Palavra é, de igual modo, para o sustento dos nossos.

Boaz não foi bonzinho, mas, sim, obediente ao que estava escrito. O mesmo deve ocorrer conosco. Agir estritamente dentro do que foi determinado pelo Senhor faz-nos um bem muito grande e cumpre o propósito divino. Na Palavra, encontramos as orientações para cumprirmos o mandamento. Desse modo, seremos recompensados.

Como é bom estar na casa de Deus para participar dos cultos e ouvir as pregações, que são de suma importância! Mas também “catar as espigas caídas ao chão ou deixadas de serem colhidas” é recompensador, pois o Senhor decretou que elas pertenceriam a quem delas necessitasse (Deuteronômio 24.19). Há muitas coisas determinadas a nós, as quais se cumprirão se formos ao campo de Cristo recolher o que caiu ou foi deixado para os carentes.

A atitude de Boaz fez Noemi sentir que ele respeitava a Lei. Ela instruiu Rute a se chegar a Boaz para que a bênção se completasse – o que, realmente, aconteceu, pois, tempos depois, Rute veio a ser a ser bisavó do rei Davi. Assim também, meu irmão, seu encontro com a Palavra e a obediência a Ela farão com que grandes frutos sejam dados à sua descendência, os quais durarão para sempre.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagens de RR SOARES: É BOM HONRAR QUEM SE DEU POR NÓS


Então, disse o rei: Que honra e galardão se deu por isso a Mardoqueu? E os jovens do rei, seus servos, disseram: Coisa nenhuma se lhe fez (Ester 6.3).

Sempre plante boas sementes, pois, no tempo certo, haverá a colheita. Deus não nos mostra algo para ficar escondido, mas para ser trazido à luz. Se, em alguma época, fizerem-lhe bem, não se esqueça de recompensá-los. A gratidão sempre deve ser algo comum a todos os filhos de Deus. Então, se pedir a alguém que ore por você, não se esqueça de agradecer-lhe. Caso a oração daquela pessoa surta algum resultado, seja grato ao Senhor, peça que Ele a use mais e, também, demonstre seu agradecimento a ela. Devemos honrar aqueles que nos honram (Romanos 13.7).

Mesmo em momento de ira, não plante más sementes. Elas produzem segundo a sua espécie e são como um bumerangue, pois vão e voltam, só que em uma medida ainda maior – multiplicada (Provérbios 30.32,33). Mas, se plantarmos boas sementes, o Pai celeste não deixará que fiquemos esquecidos. Alguém – ou Ele mesmo – dar-nos-á a recompensa. Se há algo que não falha aqui nesta vida é a colheita de tudo o que plantamos (Gálatas 6.7,8).

Todo conhecimento que recebemos tem um propósito. No mínimo, devemos orar e paralisar a ação do inimigo em qualquer coisa que nos seja revelada. Há casos em que temos de avisar a pessoa, como aconteceu quando Mardoqueu ouviu acerca do plano de assassinarem o rei (Ester 2.22). Tudo aquilo que o Senhor nos dá a conhecer é para ser trazido à luz.

O rei Assuero queria ser grato àquele judeu que lhe poupou a vida. Da mesma forma, a gratidão deve ser exercida por quem pediu a um irmão que intercedesse por sua vida, pois esse dispensou seu tempo, empregou sua fé e lutou em oração para que o outro fosse abençoado. Não é correto, depois de tudo isso, não mostrar seu agradecimento.

Ao falar sobre o escravo Onésimo, que fugira de seu senhor, Filemon, e se convertera sob o ministério do apóstolo, Paulo pediu ao patrão que recebesse o ex-escravo como irmão. Caso Onésimo tivesse dado algum prejuízo, poderia colocar na conta do apóstolo, pois Filemon até a própria vida lhe devia (Filemon 1.18,19).

Em caso de necessidade, um irmão pede a outro que ore por sua vida financeira, mas, quando essa melhora – muitas vezes, melhora muito –, esquece-se de mandar uma lembrança para aquele que pleiteou a sua causa e o fez prosperar. Davi, um verdadeiro homem de Deus, pensava diferente: quando trouxe seu despojo, lembrou-se dos anciãos de Judá e mandou presentes para eles (1 Samuel 30.26).

No mínimo, quem pede a uma pessoa que ore pela sua vida e recebe a resposta de Deus deve agradecer-lhe e orar para que ela seja recompensada pelo Senhor. É bom honrar quem se prontificou a nos ajudar, pois, quando o fazemos, somos abençoados (Lucas 6.38).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Missionário RR Soares: CHAMADOS PARA UMA NOBRE MISSÃO


E levantou-se Jesua, filho de Jozadaque, e seus irmãos, os sacerdotes, e Zorobabel, filho de Sealtiel, e seus irmãos e edificaram o altar do Deus de Israel, para oferecerem sobre ele holocaustos, como está escrito na Lei de Moisés, o homem de Deus (Esdras 3.2).

Moisés havia entregado o recado de Deus, e centenas de anos se passaram até que um grupo de pessoas decidiu levantar-se para cumprir a Palavra do Senhor. Hoje, quando dois ou três se reúnem em Nome do Senhor, Ele Se faz presente (Mateus 18.20).

O altar de Deus deve ser edificado em cada coração. Sua obra, no entanto, não é feita por um só, mas, sim, por aqueles que Ele chama para se ajuntarem e cumprirem o que está escrito. O Altíssimo está levantando pessoas para edificarem Seu altar por todo o mundo. Quem ouvir Seu chamado e atender a ele não perderá seu galardão.

A Palavra, profetizada pelo servo do Senhor, haveria de encontrar um ou vários corações que creriam nEla. Nas Escrituras, há muitas profecias esperando alguém que, tão-somente, ouse crer nelas. Quem der ouvidos ao Senhor será brilhantemente usado por Ele.

Deus fala para o presente e o futuro. No caso específico do altar, já se haviam passado algumas centenas de anos desde que a palavra fora dada, mas, por ser de Deus, continuava firme. Tudo o que foi profetizado, no tempo certo, irá concretizar-se, dependendo apenas de haver quem creia na Palavra e A pratique. Benditos são os que cumprem o dito do Senhor.

Existe uma força muita grande no meio de dois ou três que se reúnem em Nome de Jesus sobre qualquer declaração do nosso Deus – Ele próprio Se faz presente. Então, será impossível o inferno impedir que a obra seja feita, pois o próprio Senhor cuidará de todos os detalhes.

Que dias maravilhosos teríamos sobre toda a face da terra, se as pessoas cultuassem, verdadeiramente, com suas palavras e obras, o único e verdadeiro Deus Em vez de bombas, fome, doenças, adultérios e tantas outras coisas ruins, haveria amor, prosperidade, amizade e tudo o que há de bom na vida.

O exemplo ensinado no texto nos mostra que a obra divina deve ser realizada por um grupo. Alguém é levantado para liderar, e outros o são para ajudar. Quem, no entanto, terá maior glória? Aquele que a fizer o que quer que seja de coração, como para o Senhor.

Então, ouça a voz de Deus, o qual busca adoradores que O adorem em espírito e em verdade (João 4.23,24) e se disponham a sofrer pela Sua causa (Mateus 5.10). Esses serão, sem dúvida, galardoados. Que você seja um deles é a minha oração.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem do dia do Missionário RR SOARES: AS ORIENTAÇÕES DO SENHOR SÃO PRECISAS


Amanhã, a estas horas, te enviarei um homem da terra de Benjamim, o qual ungirás por capitão sobre o meu povo de Israel, e ele livrará o meu povo da mão dos filisteus; porque tenho olhado para o meu povo, porque o clamor chegou a mim (1 Samuel 9.16).

Deus não é Deus de confusão. Por isso, quando Ele fala, não deixa nenhuma dúvida. Se você acha que o Senhor o mandou fazer algo, mas está sem entender o que Ele quer, esqueça. Ele fala pela Sua Palavra, e, quando o faz, uma certeza brota em seu coração. Desde o primeiro dia em que você começou a dar ouvidos à Palavra, tem escutado plano de Deus para sua vida. Então, ore a respeito disso, mas ponha mãos à obra, pois ficar esperando a vida toda é enganar-se por completo. A Palavra que nos foi dirigida ao coração traz o poder necessário para que a obra divina seja realizada.

O Criador, que nos formou do pó da terra, sabe da nossa capacidade. Quando fala conosco sobre qualquer assunto, Ele o faz com clareza. A nós foi dado conhecer os mistérios do Seu Reino. Contudo, se pensa ter ouvido o Senhor dar-lhe uma missão, mas você não sabe qual é nem como fazê-la, pode esquecer, pois Ele não iria deixá-lo confuso.

Deus, antigamente, falava por vários meios. Mas, agora, Ele usa a Sua Palavra. Aquilo que lhe salta aos olhos – o qual lhe chama a atenção quando você está escutando a mensagem ou lendo a Bíblia – é a voz de Deus, que traz alegria ao coração. Mesmo nos convencendo de que temos pecado, sabemos que a reprovação divina é para o nosso bem e, mesmo em meio à tristeza, há uma alegria de que nos livraremos da tentação.

Outro fato importante é que o Altíssimo não Se apressa nem anda atrasado. Hoje, Ele está chamando pessoas para servi-Lhe em um futuro próximo ou distante. É claro que devemos orar ao Senhor, pedindo mais direções para fazer o que Ele nos manda, mas ficar orando e permanecer de braços cruzados é errar por completo. O certo é orar e pôr mãos à obra! Porém, quem crê e não se apressa ou fica esperando a vida toda por orientações também se engana. Quando estivermos no Caminho, novas direções nos serão dadas.

Não tenha medo de dizer sim ao Senhor nem fique reparando no vento (Eclesiastes 11.4). Caso você tenha certeza de que essa é a vontade divina, ponha-se em atividade, e Ele mesmo lhe abrirá as portas. Se alguém prejudicá-lo, não fique magoado. Muitas vezes, pensamos que algo é de Deus, e Ele, então, usa certa pessoa para não nos deixar assumir aquilo. Quem realmente serve ao Senhor não se importa com o que lhe acontece. Quer receba aplausos ou críticas, ele não dá a mínima atenção, pois, com o Senhor no comando, consegue executar o que lhe foi orientado. Ser um cumpridor da Palavra – e não um ouvinte esquecido – é o segredo de ter a obra realizada (Tiago 1.22).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

quarta-feira, 25 de março de 2009

Mensagem do Missionário R.R. Soares: DEUS FAZ ALGO EXTRAORDINÁRIO PELOS SEUS


Dizendo: Achamos realmente o cárcere fechado, com toda a segurança, e os guardas, que estavam fora, diante das portas; mas, quando abrimos, ninguém achamos dentro (Atos 5.23).

Não há prisão que consiga manter cativo aquele que confia no Senhor. O homem pode fazer o seu melhor para segurar a obra de Deus e impedir os servos do Altíssimo de proclamarem a verdade, mas não conseguirá. Agindo o Senhor, quem conseguirá impedi-lO (Isaías 43.13).

Deus não é movido por motivos humanos. Ele tem um plano, o qual nem o inimigo nem o homem impedirão sua execução. Aqueles que tramam contra a obra divina ou contra os servos do Senhor descobrirão que seus esforços foram inúteis. Todos aqueles que estão a serviço dos Céus provarão, em todos os momentos, a fidelidade e o amor de Deus (1 Coríntios 1.9).

O milagre relatado no versículo de hoje foi incrível, pois o cárcere continuava como fora deixado. Os seguranças cumpriam seu dever, mas o poder divino havia operado, e Deus havia resgatado Seus filhos. Essa é a diferença que está à nossa disposição. O maligno jamais conseguirá cumprir seus maus intentos, pois o poder do Senhor opera em favor daqueles que são dEle.

Os que confiam no que o Senhor tem-lhes falado ao coração precisam aprender a usar a fé para se livrar do cerco do mal. Todos os que são de Deus têm o poder dEle operando em seu benefício. Basta que eles ou alguém que também serve ao Senhor use a fé para que o poder divino entre em ação.

O inimigo pode usar quem quer que seja, criar uma situação bem embaraçosa e esforçar-se para impedir que os justos exerçam a liberdade que receberam com a salvação em Cristo, mas não logrará sucesso, pois nada funcionará contra o povo que serve a Deus verdadeiramente.

Se você colocar sua fé em ação, ou alguém o fizer por você, o diabo não conseguirá mantê-lo sob sua vontade. Deus, de modo diferente e espetacular, libertará aqueles que colocam nEle a sua confiança.

Não tenha dúvida a respeito disto: quem coloca a fé em ação jamais fica onde o inimigo o coloca. Na verdade, a pessoa tem a oportunidade de provar que o Senhor cumpre tudo o que falou a respeito dos Seus. Onde está o Espírito do Senhor a liberdade reina (2 Coríntios 3.17). O Deus eterno cumprirá o que falou a seu respeito nem que seja preciso fazer algo extraordinário.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem RR Soares: NÃO DESCARTE O QUE O SENHOR LHE ENSINA


Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias, fazendo que se nos deem legumes a comer e água a beber (Daniel 1.12).

A vida de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego teria sido completamente diferente se eles não tivessem tomado a decisão de não se contaminar com o manjar real. Provavelmente, deles nunca tivéssemos ouvido falar. Muitas pessoas que são de Deus também ficarão no anonimato porque não tomam decisões para não comprometer sua fé. Aqueles jovens conheciam a Lei do Senhor, a qual proibia o consumo daquele tipo de comida, e se recusaram a contaminar-se. Honrar a Deus é a melhor coisa que podemos fazer nesta vida.

José do Egito foi outro servo de Deus que decidiu não usar o caminho curto para o sucesso, a fim de não ser lançado no fogo que arderá por toda a eternidade. Teria caído no “conto do inferno” caso tivesse um envolvimento amoroso com a mulher de seu senhor (Gênesis 39.6-20). Até poderia ter tido uma boa vida no maior império do mundo daquela época, mas dele só ouviríamos falar que se desviou da Verdade.

Os jovens hebreus foram educados ao conversar com o encarregado. Não é porque somos de Deus que devemos ser arrogantes com os perdidos. Eles merecem a nossa compreensão, educação e o amor cristão. Somos os representantes do único Deus verdadeiro, o qual é amor (1 João 4.8b). Se formos sábios no tratamento com os perdidos, iremos ganhá-los para o nosso Pai.

Como sabedoria e sem esnobismo, aqueles jovens fizeram as pessoas verem que estavam certos. Sempre que estivermos agindo conforme a Palavra do nosso Deus, estaremos corretos. Não precisamos fazer força para provar quem somos. O próprio Deus irá honrar-nos quando O honrarmos.

Em qualquer situação, não se esqueça de que o Senhor está vendo tudo. Não precisamos verificar se há alguma câmera escondida que nos poderá denunciar para, então, tomarmos atitudes de cristãos. Deus vê tudo e haverá de nos recompensar se dermos o bom testemunho.

O mágico Simão, oferecendo dinheiro, fez o seguinte pedido a Pedro: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo. A resposta foi que ele iria para o inferno com o dinheiro dele (Atos 8.18-25). Não aceite suborno para influenciar a obra divina. Não venda ninguém e nada que é de Deus para o inimigo.

Não descarte o que o Senhor lhe ensina. Um dia, você verá que foi a maior bênção ter aprendido algo da Palavra de Deus. Ainda que o Senhor lhe dê um ministério, o qual, para cumpri-lo, você tenha de pagar um preço alto, não desista, pois o Altíssimo abrirá as portas para você. Seja fiel ao Pai em qualquer situação.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem Diária do Missionário RR SOARES: UM POUCO DE LUZ É SUFICIENTE


Não cuideis que eu vos hei de acusar para com o Pai. Há um que vos acusa, Moisés, em quem vós esperais (João 5.45).

Quem vive no erro sabe, no fundo do seu coração, que, um dia, responderá pelas suas obras. Jesus disse aos judeus que não seria Ele quem os acusaria, mas, sim, o que eles tinham da Palavra do Senhor. Porém, aquele pouco de luz já os permitiria agradar a Deus. O conhecimento que adquiriram sobre a Escritura Sagrada não só era capaz de mudar a vida deles por completo, como também ser uma testemunha eficaz para a própria condenação.

O mesmo ocorrerá com os idólatras e membros de qualquer igreja denominada cristã. Ninguém poderá usar o argumento de que não soube o certo e o errado, pois todos têm dentro de si uma lei a qual lhes diz se o que fizeram é errado – a lei da consciência –, por meio da qual prestará conta de suas obras. Isso acontece tanto com quem, por exemplo, habita no meio de uma floresta quanto com quem vive no meio de um centro urbano. Mesmo os que nunca escutaram a Palavra têm noção dos princípios básicos da vida (Romanos 2.14-16).

Os judeus eram privilegiados, pois foram escolhidos dentre todas as nações para conhecerem o Senhor. Eles deveriam ter buscado mais o Altíssimo e – na ocasião que Ele veio encarnado na Pessoa do Filho, para resolver todos os problemas –, tê-lO recebido e conseguido a iluminação completa. Jesus foi claro com cada um deles ao dizer que a luz que possuíam, apesar de pouca, era capaz de salvá-los ou acusá-los no Grande Dia.

É certo que não entenderam a Palavra completamente, pois Ela ainda não havia sido entregue em Sua totalidade. No entanto, depois, Jesus e o Espírito Santo trouxeram a revelação total do plano de Deus. Mesmo assim, o que os judeus tinham a respeito disso – o Antigo Testamento – já era suficiente para que dessem conta com responsabilidade de seus atos.

Na realidade, o que haviam recebido não era suficiente para mudar-lhes a vida por completo, pois a graça e a verdade só vieram por intermédio de Jesus; porém, aquele pouco de luz tinha o poder de fazê-los entender que Cristo era o Messias (João 1.17). No entanto, como se recusaram a crer no Filho de Deus, aquela luz que brilhava sobre eles atuaria como uma testemunha eficaz para a condenação deles (Lucas 11.31,32).

Todos aqueles que se dizem seguidores de Cristo – sejam aqueles ainda ligados à idolatria ou membros das mais diversas igrejas chamadas cristãs – estão no mesmo patamar dos judeus. Eles possuem luz suficiente para buscar o Senhor e se converter. Mas, diversas vezes, doutrinas e interesses religiosos os fazem agir no erro, pois, para muitos deles, é mais importante viver assim do que servir a Deus verdadeiramente. Esses, no entanto, não poderão dizer que não souberam a Verdade.

RR SOARES

Mensagem Diária do Missionário RR SOARES: DO QUE O MUNDO PRECISA


E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira fazei-lhes vós também (Lucas 6.31).

Essa é a solução para todos os problemas da humanidade. O Evangelho veio para transformar as pessoas, e quem é mudado por Ele deve cumprir todas as ordenanças divinas, inclusive essa. Mas será que nos lembramos desse mandamento todas as vezes que alguém fala mal de nós e nos prejudica? Quem obedece à Palavra do Senhor Jesus O põe para trabalhar em seu favor, pois Ele disse que os céus e a terra passariam, não Suas palavras (Marcos 13.31). O simples ato de obedecer a Cristo faz o inimigo ficar envergonhado e derrotado.

Como seria maravilhoso se ninguém pensasse em tomar um bem que não lhe pertence, não é verdade? Bom seria se as pessoas respeitassem o lar alheio, a família do próximo, bem como a reputação de qualquer um! Mas não é isso que se vê hoje, nem mesmo no meio do chamado povo de Deus. Infelizmente, embora o príncipe deste mundo tenha sido expulso, ele ainda faz com que muita gente lhe obedeça.

Nós, no entanto, fomos privilegiados ao ouvirmos a linda mensagem da cruz. A emoção tomou conta de cada um de nós ao escutarmos essa tão bela história, afinal, foi a majestosa voz do Senhor falando ao nosso coração! Ela veio para nos mudar, moldando-nos à imagem do Filho de Deus. Por isso, Deus espera que todos sejamos sábios o suficiente tanto para impedirmos o inimigo de nos usar em seus maus propósitos quanto para amarmos, de verdade, todas as pessoas, principalmente os domésticos da fé (Gálatas 6.10).

A máxima que saiu dos lábios de Jesus – a de que devemos querer para o próximo o que desejamos para nós – tem de ser cumprida. O Pai nos alcançou para nos recriar à imagem de Seu Filho (Romanos 8.29; Colossenses 3.10), e quem foi recriado por Ele deve cumprir todos os Seus mandamentos.

Quando você está longe da igreja, e não conhece ninguém que saiba que você é membro do Corpo de Cristo, o que faz quando surge um desafeto e alguém o agride com palavras, ou até mesmo fisicamente? Se for publicado algo mentiroso e indecoroso a seu respeito, contrata o melhor advogado para pleitear uma indenização “justa”?

Ao dar à Palavra de Deus o devido lugar na vida e responder de acordo com o que Ela ensina, a pessoa coloca o próprio Senhor Jesus operando em seu favor, pois Ele garantiu que Sua Palavra não falhará, mesmo que o céu e a terra passem.

Obedecer ao Senhor é manter o inimigo envergonhado e derrotado.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

segunda-feira, 23 de março de 2009

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: A DOR LEVOU JAIRO A JESUS


E eis que chegou um dos principais da sinagoga, por nome Jairo, e, vendo-o, prostrou-se aos seus pés (Marcos 5.22).
Todas as pessoas sabem que precisam de Deus. Muitas, no entanto, não admitem essa dependência por vários fatores, e o pior é que amam mais as trevas do que a Luz. A dor fez Jairo, um dos principais da sinagoga, ir à procura de Jesus. A despeito de ser uma autoridade religiosa, percorreu o caminho em direção ao Senhor, viu-O, prostrou-se aos Seus pés e orou. Então, obteve aquilo de que precisava. Hoje, as mais diversas dores fazem muitos reconhecerem que, sem o Mestre da Galiléia, eles estão perdidos.

Há dentro do homem um sentimento de que algo lhe falta. Esse vazio surgiu quando o primeiro deles pecou e foi expulso da presença divina (Gênesis 3.22-24). Por isso, um indivíduo pode ser rico, famoso, investido de autoridade, ter uma boa família e um cônjuge maravilhoso, mas, mesmo assim, ser frustrado. Só quem tem um verdadeiro encontro com o Senhor Jesus realiza-se verdadeiramente.

Aquele que entra em contato com a Palavra de Deus, pela leitura ou pela pregação, sabe que Ela é a Verdade. Contudo, por estar trilhando caminhos tortuosos, vivendo no pecado, ele deixa para se acertar depois. É incrível, mas há quem ame mais as trevas do que a Luz! A porta larga – com seus apetites carnais, suas ofertas de conforto, prazer e enganos – ilude a maioria das pessoas (Mateus 7.13).

Alguns, quando a dor chega, lembram-se de Deus e O buscam. Ao fazê-lo, são bem recebidos e conseguem resposta para aquilo de que necessitam. Assim aconteceu com Jairo, um homem de posses, que, ao ver a sua unigênita, de 12 anos, sendo tragada pela morte, teve os olhos abertos e decidiu procurar Aquele que, realmente, é a Solução para todos os problemas – o Senhor Jesus.

Em nossos dias, temos visto o mesmo acontecer com milhões de pessoas, as quais, diante de uma doença incurável, um problema insolúvel ou uma ameaça real, têm procurado Jesus, e, graças a Deus, todas elas são recebidas e atendidas!

O caminho para a solução dos seus problemas é este: encontrar o Senhor Jesus, que está na Palavra Deus. É preciso ir à igreja, ouvir a pregação, dar atenção ao que o Altíssimo fala ao seu coração, arrepender-se e abandonar as iniquidades.

Depois de ir à presença do Senhor, é necessário vê-lO. Mas, enquanto os “olhos” do seu coração não forem abertos, você não O verá (Jeremias 29.13). A seguir, prostre-se aos pés do Senhor, renda-se a Ele e ore – abra o seu coração, pois, agindo assim, você também será atendido e obterá a resposta desejada.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: A SUBLIME MISSÃO


Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais? (1 Coríntios 9.11).

Alguns escritores sagrados foram usados mais do que outros para falar sobre as finanças na igreja, mas todos mostraram o valor de se envolver com os bens na obra do Senhor. Por isso, temos de agradecer ao Espírito Santo, o qual moveu todos aqueles que Ele usou para escrever as Escrituras e falar desse importante assunto. Desde o livro de Gênesis, no qual é narrada a história dos irmãos Caim e Abel – um era temente a Deus, e o outro não, apesar de, na época, serem os únicos nascidos sobre a face da terra e terem tudo aos seus pés –, até o Apocalipse, a Palavra fala sobre o ato de tirar um pouco do que nos é dado e entregá-lo segundo a orientação divina.

Quem não sabe falar do amor de Deus, ou não pode levar a Palavra dEle a todos os cantos, deve patrocinar a ida de quem foi constituído e ungido para essa nobre missão, pois a evangelização mundial requer quantias gigantescas de dinheiro. Somente se a Igreja entender esse chamado divino e contribuir, tal obra será feita. Por isso, Paulo falava que quem produzia as riquezas deveria também recolhê-las para seu sustento e a evangelização mundial.

Só quem ainda não é completo na visão de Deus não vê que o tempo está esgotando-se rapidamente não só para os perdidos, que a cada minuto estão morrendo sem Cristo, mas também para toda a humanidade. Se a evangelização continuar nesse ritmo, a totalidade dos homens jamais ouvirá as Boas-Novas, e a volta de Cristo será retardada (Mateus 24.14).

Em todos os livros da Bíblia, está claro o motivo que o Todo-Poderoso nos dá de nos envolvermos com Sua obra. Abel, por exemplo, sentiu o verdadeiro valor de ofertar e levou seu melhor cordeiro para o Senhor. Já Caim, que era do maligno, encheu-se de furor, arrancou uma moita de mato bravo e jogou-a aos pés do Altíssimo (1 João 3.12; Gênesis 4.1-5). Era como se dissesse: “Toma! Não é isso que Tu queres?”. A sua oferta, porém, não foi aceita, pois Deus só recebe o que Lhe for doado de bom grado (2 Coríntios 9.7). Ofertar com amor é ouvir de Deus e entregar.

Todos devem falar do amor do Pai. Mas aquele que não tem o dom de explicar o que mudou sua vida e pode transformar a de qualquer um deve patrocinar o ministério de quem é chamado para realizá-lo.

O trabalho que estamos fazendo está ainda nos seus primeiros degraus. Muito mais precisa ser feito, pois a quantia a ser empregada para que todos tenham a oportunidade de ouvir a linda Mensagem é astronômica. Se os filhos de Deus aprenderem o valor de uma alma e o quanto eles são responsáveis pela salvação dos perdidos, contribuirão e produzirão riquezas para serem empregadas nesta nobre missão.

Uma coisa é certa: quem decidir cumprir os planos de Deus não terá falta de nada.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: NÃO TENHA A MÃO REMISSA


E digo isto: Que o que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia em abundância em abundância também ceifará (2 Coríntios 9.6).

Nessa passagem, Paulo discorreu um pouco mais sobre o ato de ofertar. Sem dúvida, o nosso Deus não age com ganância quando nos pede que contribuamos com certa oferta, mas com amor. É o Seu amor paterno que nos fala ao coração a quantia exata a ser doada, e ela não nos fará falta; ao contrário, trará um retorno abundante.

Quem pouco semeia também colhe pouco, pois essa colheita vem sem a abundância referida na Palavra. Por outro lado, quem não é regrado no dar, e oferta com liberalidade, segundo o que tocou seu coração, na mesma medida ceifará.

No livro de Provérbios, há uma advertência de que reter mais do que é justo se torna pura perda (Provérbios 11.24), pois diminui o que o Senhor nos fala na hora de ofertarmos na casa de Deus. O Todo-Poderoso prova Seu amor ao nos orientar a dar certa quantia. Ele nunca é ganancioso. O que for revelado nunca será algo que nos fará falta; ao contrário, trará um retorno muitas vezes maior.

Por ser a oferta uma das melhores maneiras que temos de demonstrar o nosso amor com relação ao Pai e Sua obra, o diabo tem ódio desse ato. Normalmente, o momento de recolher contribuições é o que o pecador, que não quer curvar-se diante da Palavra de Deus, mais odeia em um culto. Mesmo escutando que a pessoa só deve ofertar se for tocada pelo Senhor, ele vê esse ato como algo deplorável. O apóstolo Paulo, no entanto, estava alargando o nosso entendimento sobre as contribuições para a obra do Senhor e o envolvimento divino e especial que há nessa atitude sagrada.

Tudo o que for semeado produzirá. Quem plantar pouco irá colher pouco. Mas quem for generoso no ofertar ceifará de modo abundante, pois esse agrada a Deus. Dessa forma, o poder do Altíssimo operará com liberalidade em seu viver. Pela declaração do apóstolo, vemos que, para quem semeia com mãos fartas, o retorno será com as mesmas mãos.

O dízimo é um percentual fixo de tudo aquilo que recebemos. Quem o retém traz sobre si a maldição (Malaquias 3.8,9). Já as ofertas são o produto de um coração que ama o Pai e é amado por Ele. Quando chega o momento de ofertarmos, o Espírito de Deus – o qual conhece todas as coisas e sabe quanto a igreja e as pessoas precisam guardar para suprir suas necessidades – entra em ação e mostra o que deve ser semeado. A prova de que ofertamos por fé, e não por outro motivo, é o que fica em nosso bolso depois. Então, em suas próximas ofertas, não tenha a mão remissa.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: SÓ PENSE NAS COISAS DO ALTO


E digo isto e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade do seu sentido (Efésios 4.17).

Se houve a conversão de uma pessoa, tem de haver mudança em sua vida. Quem, no entanto, continua andando segundo a vaidade dos seus pensamentos está mal. Deus quer nos ver seguindo Sua direção. Precisamos aprender a estar no lugar certo e no momento escolhido pelo Senhor para recebermos a bênção. Todos os nossos pensamentos podem ser dirigidos por Aquele que não erra. Os gentios não sabem aonde vão nem o que querem. Por outro lado, temos o Livro Santo, o qual nos mostra a vontade divina, e, pela fé, nós Lhe obedecemos.

Todo aquele que está em Cristo se tornou nova criatura e, portanto, mudou seu modo de vida (2 Coríntios 5.17). A conversa dos servos de Deus é outra, e eles já não fazem mais as coisas do passado. Quem, realmente, passou pela porta estreita, pelo caminho apertado, já não tem prazer no erro e pratica somente aquilo que agrada ao Senhor (Efésios 5.3-21).

Qualquer cristão que vive pensando em algo errado não está bem. É preciso que aquele que se encontra nessa situação busque do Senhor a libertação, pois, a qualquer hora, o demônio que está agindo em seu pensamento irá colocá-lo frente a frente com o que lhe vem impregnando a mente e levando-o a consumar o ato; nesse momento, ele estará nas mãos do inimigo. Por isso, anda mal quem continua dando lugar à vaidade dos seus pensamentos.

Deus deseja que sigamos Sua direção, pois os planos divinos para nós, além de serem os melhores, são os mais adequados à nossa personalidade e capacidade (Jeremias 29.11).

O servo do Altíssimo só deve estar onde Ele estiver, quer mental ou fisicamente. O nosso Deus é quem deve apontar onde devemos estar. Permanecer no lugar errado é sinal de prejuízo.

Não deixe nada do inimigo ocupar sua mente, porque o diabo é tão pernicioso, que, se um só dos pensamentos satânicos invadir seu coração, você será contaminado para sempre. Precisamos ter o Todo-Poderoso, que nunca erra, alimentando e dirigindo a nossa mente. Assim, jamais erraremos, pois seremos guiados por Aquele que faz apenas o que é certo.

Não se iguale aos gentios, pois você descerá da sua posição. Quem já foi resgatado das trevas e transportado para o Reino do Filho do amor de Deus não pode aceitar de volta os sujos pensamentos do maligno (Colossenses 1.13,14). O Pai espera que nenhum dos Seus filhos abra uma brecha no muro de fogo que os guarda. Então, pense somente naquilo que provém do Alto, o qual nos edifica e nos faz entender a boa e perfeita vontade do Senhor (Filipenses 4.8).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Fonte: www.ongrace.com

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: NUNCA PERCA A CHANCE DE SE ACERTAR


Não mentiste aos homens, mas a Deus (Atos 5.4d).

Mentir à autoridade instituída pelo Altíssimo é enganar ao Senhor. Sabemos que o Espírito Santo usa os servos de Deus na pregação e também na apuração de qualquer fato. Por isso, é melhor não errar, mas, se isso acontecer, não cometa o maior equívoco de tentar enganar o servo de Deus. Ananias e Safira poderiam ter sido poupados e iriam para o Céu caso se tivessem arrependido, mas não foi isso que aconteceu. Onde eles estão hoje?

Jesus disse que Ele é a Verdade (João 14.6); portanto, toda mentira que se diz é contra a Verdade, a qual é o Senhor. Como alguém pode ser tão iludido por Satanás a ponto de tentar ludibriar Aquele que é o oposto do engano? A maior besteira que uma pessoa pode cometer é faltar com a verdade. Quem mente está deliberadamente se afastando de Deus e se lançando nos braços do diabo, que é mentiroso e pai da mentira.

Aquele que não diz a verdade para o servo do Senhor, em outras palavras, está mentindo ao próprio Deus. Essa pessoa está com falta de juízo e vai pagar um preço tremendo pelo seu segundo erro, o qual, certamente, é maior que o primeiro.

O Espírito Santo usa os que estão no ministério, dando-lhes unção para pregar, entendimento, inspiração, poder para curar e expulsar demônios. Aqueles que são chamados por Deus são os representantes dEle no ato de realizar a obra divina (1 Coríntios 12.1-7). Além dessas atribuições, também são usados para advertir acerca de algum erro prestes a ocorrer e para apurar algum fato que está incomodando alguém. Hoje, a apuração é para o bem das pessoas, a fim de que elas se acertem (Isaías 55.6,7) antes do Dia do Juízo. Nessa ocasião, elas mesmas confessarão o erro, mas não haverá perdão.

Quem errou deve confessar tudo. Esconder um pouco que seja é continuar fazendo o que não é certo e ficar nas mãos do inimigo. O melhor é não cometer errar, mas, se aconteceu, não erre outra vez, tentando encobrir, para que possa alcançar misericórdia (Provérbios 29.1).

Se Ananias e Safira tivessem confessado o erro, certamente, teriam sido perdoados e restaurados à comunhão com o Senhor. Mas, como preferiram continuar com a mesma atitude equivocada, pereceram diante do homem de Deus e entraram para a eternidade em pecado.

Será que eles alcançaram misericórdia? Provavelmente não. Valeu a pena terem mentido? Perderam, sem dúvida, a oportunidade de ouro de se acertar com o Senhor. Jamais perca a sua chance de se acertar, ainda que o preço seja demasiadamente caro. Vale a pena pagar qualquer preço para ir para o Céu e não para o inferno.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


Fonte: www.ongrace.com

Mensagem diária do Missionário R.R. Soares: CRER É A ÚNICA SAÍDA


Por isso, vos disse que morrereis em vossos pecados, porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados (João 8.24).

Os judeus, como descendentes de Abraão, faziam parte do povo de Deus. Eles eram os herdeiros da Aliança que Deus havia feito com esse patriarca (Gn 12, 13, 15 e 17) e seus descendentes, Isaque (Gn 26) e Jacó (Gn 28). Porém, por não aceitarem o presente mais precioso que o Pai tinha para lhes dar – o Jesus como Senhor e Salvador (Lc 4.16-30) –, morreram em seus pecados. Hoje, o mesmo está acontecendo com as pessoas que se têm tornado religiosas e não praticantes da Palavra de Deus, as quais vivem oprimidas por não terem tido uma real experiência com o Senhor.

Quem pertence ao povo de Deus possui o melhor da vida. No entanto, aqueles que não creem no fato de que Jesus é o Senhor amontoam fracassos. Isso está acontecendo com muitas pessoas, cujas vidas são dedicadas a ajudar o próximo. Na verdade, elas estão nas mãos do inimigo por causa deste detalhe: não crer que Jesus é o Senhor. Ele pode resolver o problema de todas as pessoas, pois tem todo o poder nos céus e na terra, mas nada poderá ser feito para quem não crer nEle. O Senhor nos deu, em Seu Nome, poder sobre toda a força do inimigo, entretanto, isso só funciona para quem acredita nEle.

Muitos cristãos oram, mas não são curados, e, perplexos, perguntam o que está errado. Na verdade, não é necessário questionar isso, pois quem erra sabe qual mandamento transgrediu. Enquanto não se acertar com o Senhor, continuará oprimido pelas forças das trevas. Só aquele que confessa as próprias transgressões e as abandona alcança misericórdia (1 João 1.9). Enquanto o pecado não for confessado, não será removido. Quem pratica o que a Bíblia condena não tem paz nem o perdão do Senhor.

Agora, a pessoa que, de fato, assume-se na Palavra de Deus, passa a desfrutar do melhor em todos os sentidos. Porém, aquele que continua no pecado está mal espiritualmente e, mesmo que ore, jejue e faça todas as correntes de oração que puder, nada conseguirá de Deus, por se encontrar nas mãos do inimigo. Por outro lado, para quem se converte ao Senhor Jesus, tudo é diferente; não há mais condenação para ele. O sinal de que alguém está em paz com Deus é que sente o desejo de se acertar também com a pessoa enganada. Essa foi a atitude de Zaqueu após se encontrar com Jesus (Lc 19.1-9).

Todo aquele que assume seu lugar em Cristo faz de Jesus o Senhor de sua vida. Então, descobre que, o Nome de Jesus, em seus lábios, tem o mesmo poder que tinha nos lábios do Senhor. Essa é uma prova de que realmente crê em quem Jesus é.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

sábado, 21 de março de 2009

Mensagem do Missionário R.R. Soares: CUIDADO COM A HIPOCRISIA!


Respondeu-lhe, porém, o Senhor e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi ou jumento e não o leva a beber água? (Lucas 13.15).

Os hipócritas sempre existiram e continuarão a existir. Alguns deles olham para seus interesses, e outros, simplesmente, deixam-se levar pelo inimigo. Se aquelas pessoas podiam cuidar dos animais no sábado, por que os sofredores não deviam receber cuidados naquele dia? O hipócrita tem um entendimento curto e é mal-intencionado, mas quem é de Deus tem de compreender a Palavra como o Senhor A entende. Ficar preso às regras religiosas em detrimento do sofrimento alheio não é bom.

A hipocrisia impera em todos os segmentos da sociedade. A palavra hipócrita, no grego, significa ator – pessoa que representa um papel, sem ter nada a ver com o personagem. Jesus a usava contra os fariseus, que pareciam ser bem zelosos no guardar a Lei, mas não o faziam (Mateus 23.13ss).

Há hipócritas por interesses pessoais, e esses são verdadeiros espertalhões. Ensinam uma coisa, mas fazem diferente. Hoje, é possível ver gente assim por toda a parte. Quantos corruptos, investidos de autoridade, bem conhecidos nossos, às vezes, fazem um discurso impressionante em defesa da moralidade, contudo, quem os conhece sabe que aquilo que combatem é exatamente o que praticam. Há também quem se deixe levar pelo inimigo e assuma a hipocrisia sem interesse particular.

Aqueles judeus conheciam a Lei pelo entendimento humano. Eles proibiam que se fizesse alguma coisa no sábado, dia de descanso. No entanto, como Jesus lhes disse, naquele mesmo dia, eles desamarravam o jumento ou o boi e os levavam a beber água (Lucas 14.3ss). Ora, se podiam fazer um benefício a um animal, por que condenar o Senhor por fazer o bem a uma pessoa em tal período? Sem dúvida, eles sabiam que o valor do ser humano é infinitamente maior do que o de qualquer animal, mas não lhes convinha pensar nisso.

Os hipócritas não entendem como as pessoas normais agem, pois eles enxergam segundo a própria conveniência. Para eles, é mais importante prender-se a um regulamento do que estender a mão e ajudar um sofredor. O ser humano em necessidade, seja ele quem for, merece a nossa atenção acima de qualquer regra. Ademais, precisamos entender a Palavra de Deus como o Seu Autor A entende. A mais correta atitude deve ser imitar o Senhor Jesus em tudo.

Eles levavam o animal para beber água para que esse não morresse, evitando um prejuízo. Quanto vale uma vida humana?

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Mensagem do Missionário R.R. Soares: O ACORDO É UM REMÉDIO


Levantando-se contra ti o espírito do governador, não deixes o teu lugar, porque o acordo é um remédio que aquieta grandes pecados (Eclesiastes 10.4)

O governador é a maior autoridade de um estado. Se ele descobrir um erro em sua vida, alguma falha que, consciente ou inconscientemente, você cometeu, não deixe seu lugar, mas ocupe sua posição em Cristo, pois é o melhor que se pode fazer. Na hora que alguém se deixa levar pelo espírito do mundo, ou faz uso de meios escusos para, por exemplo, solucionar uma investigação ou parar um processo, está assinando a permissão para que o poder das trevas consiga fazê-lo sofrer. O certo é entrar na presença de Deus, expor sua situação e pedir a ajuda do Alto, pois fazer uso da sabedoria divina é um dos grandes segredos para evitar muita coisa ruim.

Temos de estar submissos às autoridades. Então, caso “César” decida investir contra nós, não podemos fugir, quer ele tenha razão ou não. Se falharmos, teremos de arcar com o nosso erro, mesmo que esse tenha sido cometido sem dolo. Em qualquer situação, devemos ir a Deus em oração e contar-Lhe o que realmente fizemos, porque, diante dEle, não podemos esconder nada, mas confessar tudo.

Agora, mesmo a pessoa tendo caído, não deve deixar seu lugar na Palavra de Deus. O certo é assumir que errou, confessar todos os detalhes e pedir a misericórdia divina. Não é bom ficar acusando os outros, afinal, mesmo que alguém lhe tenha sugerido praticar o que é ilícito, se você optar por agir erroneamente, a responsabilidade é sua. Então, reconhecer sua falha – sem se esquecer de que é filho do Senhor e, por isso, está pedindo Sua ajuda para livrar-se do erro – é o caminho mais curto para ter a boa mão dEle ajudando-o.

O espírito do engano, o qual prevalece em quem é do mundo, faz com que o pecador não veja seu erro e encontre desculpas, enquanto acusa o outro por lhe ter sugerido a prática de alguma obra nefasta. Sendo você um filho do Altíssimo, seja honesto e verdadeiro.

O único meio correto de tratar da sua iniquidade é reconhecer sua responsabilidade nele e suplicar pela misericórdia do Pai. Bancar o esperto é dar armas ao inimigo para fazer com que você sofra muito mais, porém, entrar na Aliança que Deus fez com o homem no sangue de Cristo é a melhor atitude (1 João 2.1,2).

O acordo feito no sangue de Jesus é um remédio que aquieta – faz adormecer a ira causada por grandes atos errados –, e ser parte desse pacto é um remédio que permite ao Senhor agir para aquietar a força ofendida. Então, se Ele é o seu melhor Advogado, por que desprezá-lO?

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares